Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Herdade da Comporta será vendida por 158,2 milhões ao consórcio Amorim/Vanguard

Autor: Redação

O consórcio formado pelo fundo Vanguard Properties e pela Amorim Luxury, liderado pela empresária Paula Amorim, melhorou a oferta feita pela compra dos ativos da Herdade da Comporta: inicialmente tinha oferecido 156,4 milhões de euros e coloca agora “em cima da mesa” 158,2 milhões de euros. A decisão será tomada em breve, na assembleia-geral de dia 27 de novembro, e falta ainda a aprovação do Ministério Público (MP).

Segundo o ECO, além do valor oferecido, os referidos 158,2 milhões de euros, o contrato de compra e venda prevê uma garantia, correspondente a cerca de oito milhões de euros, que ficará em vigor durante nove meses, para cobrir eventuais perdas caso os ativos não estejam de acordo com o que está descrito no contrato. 

O consórcio aguarda agora pela assembleia-geral de participantes, marcada para o dia 27 de novembro, e pela luz verde do MP. Os ativos da Comporta estão arrestados pelo Estado, o que significa que só podem ser vendidos se o MP autorizar o levantamento deste arresto. Caso não haja essa autorização e o negócio “cair”, a Herdade da Comporta corre o risco de entrar em insolvência, tal como já alertaram os curadores dos processos de insolvência das empresas do Grupo Espírito Santo (GES) que tinham sede no Luxemburgo (no caso, a Rioforte, que controla a Comporta).

Entretanto, e conforme recorda o Jornal Económico, no concurso anterior para a compra dos ativos da Herdade da Comporta, que não passou na Assembleia de Participantes do Fundo detentor desses ativos, previa-se que o consórcio formado pelo fundo Vanguard Properties e pela Amorim Luxury pagasse 147,4 milhões de euros pelos ativos da Comporta: 28 milhões em dinheiro e a assunção dos 119,4 milhões de dívida à CGD (à qual o fundo não paga juros há quatro anos), sendo que este consórcio dizia na altura que a proposta valia, na verdade, 156,4 milhões, porque não incluía os créditos sobre a DCR & HDC (avaliados em 8,2 milhões) nem os lotes das Casas da Encosta (avaliados em 852 mil euros).

O atual negócio prevê que a Vanguard Properties ficará responsável por 88% dos ativos da Herdade da Comporta e que nas mãos da Amorim Luxury ficarão 12%, que se referem a um hotel e outros imóveis, escreve a publicação.