Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Assim será a “Cidade da Água” – a nova “Expo” em Almada

A nova 'Expo' em Almada
Projeto vai nascer nos antigos terrenos na Lisnave / Câmara Municipal de Almada/Facebook (Baía do Tejo)
Autor: Redação

Está feita a apresentação oficial daquela que será a “Cidade da Água”, em Almada, na margem sul do Tejo. É nos antigos terrenos na Lisnave, na zona ribeirinha de Cacilhas, que vai nascer este megaprojeto imobiliário gerido pela Baía do Tejo, empresa estatal do universo da Parpública. O novo dono deverá ser conhecido até novembro.

A “Cidade da Água” – também apelidada como nova “Expo” de Almada - vai ocupar mais de 630 mil metros quadrados (m2) de frente ribeirinha, onde irá nascer um conjunto urbano de uso misto residencial, escritórios, comércio e restauração, hotéis, áreas culturais e de lazer, um terminal fluvial e uma marina. O investimento – ainda não foi revelado pela Baía do Tejo - deverá rondar os cerca de 2 mil milhões de euros, e ficará a cargo do novo dono, que será responsável pelo desenvolvimento do projeto.

A apresentação oficial contou com a presença de vários grupos económicos nacionais e estrangeiros, nomeadamente possíveis investidores interessados no projeto. O lançamento do concurso público internacional, para adjudicação da “Cidade da Água”, já tem data marcada: deverá ser lançado até ao final de junho e as propostas poderão ser apresentadas até setembro, segundo o Negócios. O “vencedor” será conhecido em novembro.

Acessos a Almada serão reforçados

A "Cidade da Água" vai obrigar ao reforço das vias de acesso e à transferência do terminal fluvial, segundo as declarações de Inês de Medeiros, presidente da Câmara de Almada, à Renascença.

"Está previsto a transferência do terminal dos barcos para aquela zona. Terá que haver um grande reforço. O mais complicado - e que ainda estamos a rever - é o facto de as pessoas poderem aceder mais facilmente ou à ponte ou, eventualmente, um novo túnel, que a ser seria na Trafaria", explicou ainda a autarca.