Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Aqui vai nascer a Cidade da Água "dentro de 10 ou 15 anos"

Baía do Tejo
Baía do Tejo
Autor: Leonor Santos

A Cidade da Água, que se vai instalar nos antigos terrenos da Lisnave, em Almada, será uma realidade. Sérgio Saraiva, um dos administradores da Baía do Tejo (BT), empresa do setor empresarial do Estado, não tem dúvidas de que dentro de 10 ou 15 anos teremos o Arco Ribeirinho Sul completamente renovado. O megaprojeto imobiliário já tem cinco investidores interessados e o concurso público deverá ser lançado até ao final deste semestre.

O projeto em causa, que quer revolucionar a zona ribeirina de Cacilhas, está aprovado e publicado em Diário da República desde 2009. A verdade é que depois de um longo período de espera, caracterizado por vários avanços e recuos, segue em velocidade de cruzeiro. Já há cinco investidores interessados: um grupo chinês, um grupo britânico, um grupo norte-americano e dois consórcios que integram empresas portuguesas. 

Um dos responsáveis da BT, Sérgio Saraiva, que falou com o idealista/news – durante a networking trip que levou cerca de 50 profissionais do imobiliário para visitar os terrenos da Lisbon South Bay –, defendeu a importância do projeto, que será capaz de contribuir para a afirmação da Área Metropolitana de Lisboa internacionalmente.

Este projeto esteve parado algum tempo.

O projeto está aprovado desde 2009. Mas a visão de transformar aquele que foi um antigo estaleiro que cessou a sua atividade em 2000 numa nova área urbana continua de pé. Se nós pensarmos no exemplo da Expo, daquilo que era e daquilo que é hoje, se calhar identificamos muitos pontos em comum. E se calhar as pessoas quando olharam para a Expo 98 e para aquela zona pensaram que seria impossível criar ali uma “nova cidade”. Mas sim, este projeto vai avançar.

"Se calhar as pessoas quando olharam para a Expo 98 e para aquela zona pensaram que seria impossível criar ali uma 'nova cidade'"

E até já há investidores interessados.

Sim. Neste momento já estamos numa fase de promoção. Sinal de que estamos no caminho certo são precisamente essas manifestações de interesse de grandes grupos internacionais, que sinalizaram o seu interesse em querer desenvolver todo este projeto. Estamos a falar de criar novos ícones, de criar novas áreas urbanas. Estamos a falar de investidores que mostraram interesse há um ano e que voltaram a reafirmá-lo agora.

Mas ainda há pessoas a não acreditar neste projeto?

O que acontece é que o projeto esteve parado durante algum tempo, e a verdade é que essa conjuntura alimentou essa “descrença”, pelo que é natural que as expetativas das pessoas tenham ficado um pouco em baixo. Mas quando nós trazemos investidores internacionais, e foram vários aqueles que vieram visitar o território, esta questão do tempo acaba por não ser relevante, porque eles só começaram a olhar para os terrenos agora.

"Acreditamos que daqui a uns anos este será um ícone de Lisboa, tal como a Expo o é hoje em dia"

Agora para nós portugueses, que vemos aqueles territórios expectantes há muito tempo, acaba por ser diferente. Daí a importância das visitas com portugueses [referindo-se ao networking promovido pela APPII], para também eles acreditarem neste projeto. Parece um pouco como as equipas de futebol, temos de conquistar o balneário primeiro, antes de irmos para a Liga dos Campeões.

Estamos a tentar mostrar aos portugueses que de facto este projeto tem pernas para andar. Acreditamos que daqui a uns anos este será um ícone de Lisboa, tal como a Expo o é hoje em dia.

Vamos esperar ainda quanto tempo?

A Cidade da Água deverá estar pronta daqui a 10 ou 15 anos. Teremos algumas coisas prontas antes disso, com toda a certeza, mas essa é a nossa expetativa. O período de desenvolvimento do projeto aponta para um horizonte temporal desta dimensão. A par disso, claro, investir na requalificação destes dois parques empresariais (o do Barreiro e do Seixal) e atrair mais empresas. 

"A Cidade da Água deverá estar pronta daqui a 10 ou 15 anos. Teremos algumas coisas prontas antes disso, com toda a certeza, mas essa é a nossa expetativa"

Além disso está em estudo a transferência do novo aeroporto para a margem Sul. Também é um equipamento importante, obviamente, e que poderá alavancar e alimentar estes projetos. Muitos investidores colocam-nos essa questão, quando é que o aeroporto estará pronto, porque é um fator importante para a decisão de investirem na Cidade da Água e investirem aqui.

O projetos são complementares. O que acreditamos é que o da Cidade da Água, face à sua dimensão, tem uma marca mais forte, e irá alavancar seguramente os outros todos.