Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Revive: Forte da Ínsua (Caminha) ganha nova vida como alojamento turístico

Trata de uma “fortificação marítima abaluartada com planta estrelada irregular” que estava “em avançado estado de degradação”.

Revive
Revive
Autor: Redação

O Forte da Ínsua, localizado na Ínsua de Santo Isidro, na freguesia de Moledo e Cristelo, concelho de Caminha (Viana do Castelo), vai ganhar nova vida ao abrigo do Programa Revive: será um estabelecimento de hospedagem, revelou o Ministério da Economia e da Transição Digital, acrescentando que já foram lançados concursos para a concessão de 21 imóveis no âmbito do programa. 

Em causa está “um Monumento Nacional único que se encontrava sem utilização e em avançado estado de degradação”, refere o Governo, em comunicado, adiantando que se trata de uma “fortificação marítima abaluartada com planta estrelada irregular, que possui no seu interior um convento ampliado em 1676, mas com origem franciscana do século XIV, erguido por determinação de D. João I de Portugal”.

Revive
Revive

“A concessão, por 50 anos (...), foi adjudicada por 1.001 euros de renda anual à empresa Diverlanhoso, prevendo-se um significativo investimento neste património único, de modo a permitir a recuperação deste espaço como Estabelecimento de Hospedagem de qualidade elevada e a sua dinamização através do desenvolvimento de várias atividades de animação cultural”, lê-se no documento.

Entretanto, e segundo o Jornal de Negócios, que cita uma fonte oficial da tutela, o investimento a cargo da Diverlanhoso, uma empresa que explora um parque de aventura perto da Póvoa de Lanhoso, está estimado em 3,7 milhões de euros. 

“Este é um dos 33 imóveis inscritos na primeira fase do Revive”, um programa que visa “valorizar e recuperar o património sem uso, reforçar a atratividade dos destinos regionais e o desenvolvimento de várias regiões do país”, lê-se na nota no Executivo. 

De acordo com o Ministério da Economia e da Transição Digital, a segunda edição do Revive foi lançada em 2019, com a integração de 16 novos imóveis, sendo que o programa integra atualmente 49 imóveis, dos quais 21 estão localizados no interior do país.

“Até ao momento foram lançados concursos para a concessão de 21 imóveis. Atualmente, estão abertos os concursos para a concessão do Forte da Barra de Aveiro, situado no concelho de Ílhavo, e do Palacete dos Condes Dias Garcia, em S. João da Madeira, integrado já na segunda fase do programa”, refere a tutela.