Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

SIL 2021 regressa em outubro presencial e digital: “Portugal continua a ser um destino atrativo”

Edição deste ano do SIL, a 24ª, já tem data: realiza-se de 7 a 10 de outubro. Sandra Fragoso, gestora do evento, mostra-se otimista.

Sandra Fragoso, gestora do SIL / SIL
Sandra Fragoso, gestora do SIL / SIL

Em 2020, devido à pandemia da Covid-19, a 23º edição do Salão Imobiliário de Portugal (SIL) foi reformulada, tendo-se realizado num formato híbrido. Este ano, a maior e mais importante feira do setor imobiliário em Portugal vai decorrer novamente durante quatro dias, de 7 a 10 de outubro, e num formato também misto, ou seja, presencial e digital, adianta ao idealista/news Sandra Fragoso, gestora do SIL, mostrando-se confiante nas qualidades do país: “Portugal continua a ser um destino de investimento atrativo”.

“Mais do que nunca, as empresas valorizam o ambiente de feira, mais físico, mais próximo, onde a interação com os diferentes intervenientes é fundamental. A edição do SIL 2021 apostará num evento presencial com expositores, visitantes e a realização de conferências, que através de uma forte componente tecnológica permitirá, novamente, o alcance alargado a um universo de interessados, captando um maior número de participantes. Assim, as empresas expositoras beneficiarão de uma maior amplitude geográfica a nível nacional e internacional, alcançando ‘players’ com interesse em conhecer as suas ofertas e ainda participar nas diferentes atividades – conferências, reuniões, entre outras”, começa por dizer. 

Segundo a responsável, “com este modelo presencial e digital” será possível “proporcionar respostas de qualidade que, alinhadas” com a principal missão da organização, “pretendem alavancar e potenciar os setores de negócio de todos os parceiros e expositores”. “Naturalmente, o SIL realizar-se-á de acordo com as normas da DGS e da União de Feiras Internacional (UFI)”, adianta.

“Com este modelo presencial e digital será possível proporcionar respostas de qualidade que, alinhadas com a principal missão da organização, pretendem alavancar e potenciar os setores de negócio de todos os parceiros e expositores”

Sandra Fragoso considera que, no ano passado, “o SIL conseguiu manter-se na agenda, ainda que com a introdução de uma componente digital, cumprindo todas as regras impostas pela DGS e pela UFI”. Para a edição deste ano, as expetativas apontam para que haverá um “SIL capaz de mostrar a importância e dinâmica do setor, contando com a presença de investidores, promotores, mediadores, banca, serviços, entidades oficiais e associativas e visitantes”.

O que esperar de 2021 para o setor imobiliário? 

Quando questionada sobre se Portugal continua a ser, em tempos de pandemia, um destino de investimento atrativo, a gestora do SIL responde sem hesitar: “Portugal continua a ser um destino de investimento atrativo. Os investidores internacionais continuarão interessados em Portugal pelas boas condições intrínsecas do país e pelas oportunidades de investimento que continuam a existir, mantendo a confiança no mercado imobiliário português”. 

Para Sandra Fragoso, não há dúvidas de que “o ano de 2021 será muito desafiante”, isto apesar do setor ter “mostrado capacidade de resiliência e preparação para responder aos desafios”.