Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Edição especial SIL, Tektónica e Intercasa “superou as expetativas”

Participaram no “evento especial” mais de 8.500 pessoas, mais de 5.500 presencialmente e 3.000 seguidores digitais.

Fundação AIP
Fundação AIP
Autor: Redação

A edição deste ano (a 23ª) do Salão Imobiliário de Portugal (SIL), que se realizou em conjunto com a Tektónica - Feira Internacional de Construção e Obras Públicas e com a Intercasa - Living & Design e que terminou domingo (11 de outubro de 2020), “superou as expetativas”, revela a Fundação AIP, proprietária da Feira Internacional de Lisboa (FIL), onde decorreu o evento – desta vez, devido à pandemia da Covid-19, em formato híbrido e apenas num pavilhão.

“No decorrer dos quatro dias, participaram no evento (físico e digital) mais de 8.500 pessoas, das quais, mais de 5.500 presencialmente e 3.000 seguidores digitais. Fica assim demonstrada a vontade dos visitantes em participar fisicamente nas feiras e eventos, contribuindo assim para o reforço da dinâmica de negócio e da recuperação da economia”, refere a Fundação AIP, em comunicado, acrescentando que foi “estabelecido o limite de 2.288 visitantes em simultâneo no evento”. 

“A adesão superou as expetativas, tendo a FIL registado um número considerável de visitantes, profissionais e público em geral, nos quatro dias de evento [realizou-se entre 8 e 11 de outubro de 2020]”, lê-se no documento.

Segundo a Fundação AIP, marcaram presença no pavilhão 1 da FIL 127 expositores (dados da UFI). “Esta foi uma edição especial que juntou os três eventos, complementares, uma vez que todos estão relacionados com a casa, num único pavilhão, podendo ser visitado em simultâneo e, assim, incrementando as sinergias inerentes aos setores em exposição”, refere a nota.

A Fundação AIP sublinha o facto destas terem sido as primeiras feiras organizadas nas instalações da FIL depois de seis meses em ‘stand-by’ devido à pandemia. “Apesar das condicionantes, a Fundação AIP decidiu avançar com a realização destas três feiras, contribuindo assim para a retoma económica dos setores envolvidos – imobiliário, construção e decoração –, assim como evidenciou a sua missão de ajuda às empresas portuguesas bem como com a retoma progressiva da economia nacional”, lê-se no site da FIL.