Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Grupo Amorim compra Herdade de Rio Frio ao BCP e à Parvalorem

Eram três os candidatos à compra da Herdade de Rio Frio, um dos ativos tóxicos do extinto Banco Português de Negócios (BPN).

Autor: Redação

A operação de venda da Herdade de Rio Frio, um dos maiores terrenos agrícolas do país, estará prestes a chegar ao fim. A propriedade – tem 3.600 hectares e está localizada em Alcochete – pertencia ao extinto Banco Português de Negócios (BPN) e está agora nas mãos da Parvalorem (detida pelo Estado) e do BCP. Deverá ter, no entanto, novos donos em breve, e tudo indica que o Grupo Amorim será o futuro proprietário da herdade. 

Segundo o ECO, após dois concursos de venda falhados, há agora um acordo de princípio, podendo o negócio ser consumado em breve. Os primeiros concursos foram lançados em 2018, mas não houve luz verde para a venda/compra da Herdade de Rio Frio. Parece agora haver luz ao fundo do túnel no processo, com o negócio a poder ser consumado nos próximos dias, salvo qualquer imprevisto de última hora. 

De recordar que, conforme escrevemos recentemente, a Parvalorem e o BCP selecionaram três entidades para apresentarem propostas finais pela herdade, tendo recebido algumas manifestações de interesse.

A Herdade de Rio Frio, recorda a publicação, é propriedade da sociedade Cold River’s Homestead, constituída em março de 2018. Sociedade essa que é detida em partes iguais (50%) pela Parvalorem (tutelada pelo Ministério das Finanças) e pelo BCP.

Tem uma área de 3.600 hectares, dos quais 2.600 são sobreiros e cerca de 130 são vinha. De acordo com o ECO, o interesse do Grupo Amorim deverá estar na parte dos sobreiros, pela produção de cortiça, sendo que na propriedade realiza-se também produção de arroz e de gado. 

Importa frisar que a Herdade de Rio Frio inclui ainda o Palácio de Rio Frio, num terreno ao lado, que está nas mãos do Novo Banco, ou seja, não está abrangido por este negócios.