Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Travão a fundo no valor gerido por fundos imobiliários – cai 160 milhões em julho

Valor gerido pelos diferentes fundos atingiu 10.622,5 milhões de euros em julho, segundo dados divulgados pela CMVM.

Valor sob gestão de fundos de investimento imobiliário
Imagem de Steve Buissinne por Pixabay
Autor: Redação

Em julho de 2021, o valor gerido pelos vários fundos de investimento imobiliário portugueses atingiu 10.622,5 milhões de euros, menos 159,7 milhões (1,48%) que em junho, segundo dados divulgados recentemente pela Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM).

De acordo com o regulador e supervisor, no mês em causa, o montante investido nos Fundos de Investimento Imobiliário (FII) decresceu 1,0% para 7.903,9 milhões de euros. Já nos Fundos Especiais de Investimento Imobiliário (FEII), o valor recuou 3,07% para 2.304,4 milhões de euros. Por fim, nos Fundos de Gestão de Património Imobiliário (FUNGEPI) o montante investido recuou 0,8% para 414,2 milhões de euros.

“No período em análise, os países da União Europeia (UE) foram o destino da totalidade do investimento feito em ativos imobiliários, tendo 48,3% da carteira dos FII e FEII abertos sido aplicados em imóveis do setor dos serviços. Os investimentos realizados pelos FUNGEPI destinaram-se sobretudo ao setor do comércio (46,2% do total)”, lê-se no site da CMVM.

De referir que, em julho, a Interfundos (11,8%), a Square AM (11,8%) e a Caixa Gestão de Ativos (9,1%) detinham as quotas de mercado mais elevadas.

Por outro lado, foram liquidados no mesmo mês dois FEII geridos pela Interfundos, o “Stone Capital – Fundo Especial de Investimento Imobiliário Fechado” e o “Gestimo – Fundo Especial de Investimento Imobiliário Fechado”, e um FII gerido pela GNB Real Estate, o “Imoarruda – Fundo de Investimento Imobiliário Fechado”.