Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Sporting: Estádio de Alvalade em risco de ser penhorado

Bancos Novo Banco e BCP podem executar garantia já em janeiro de 2022, caso não recebam 16,18 milhões de euros até final do ano.

Estádio de Alvalade em risco de ser penhorado
Dite do Sporting (www.sporting.pt)
Autor: Redação

Até final do ano, o Sporting tem de pagar 16,18 milhões de euros de dívidas aos bancos Novo Banco e Millennium bcp. Se tal não acontecer, o Estádio de Alvalade e o Multidesportivo correm o risco de serem alvo de uma hipoteca que pode resultar numa penhora

Segundo o Correio da Manhã, o direito de superfície sobre as frações onde estão localizados os recintos é uma das garantias que os bancos poderão acionar se a SAD leonina não pagar o montante em causa, relativo aos Valores Mobiliários Obrigatoriamente Convertíveis (VMOC).

No prospeto do novo empréstimo obrigacionista, o Sporting admite o incumprimento no reforço da Conta Reserva dos VMOC a 30/09/2020 e 30/09/2021, escreve a publicação, adiantando que o Novo Banco e o BCP deram mais tempo ao Sporting (até 31 de dezembro de 2021) para repor os já referidos 16,18 milhões de euros. Se houver incumprimento e não for consumado, entretanto, um novo acordo entre as partes, os bancos podem acionar os “mecanismos jurídicos previstos”. 

O jornal adianta que além de uma segunda hipoteca de Alvalade – o direito de superfície do estádio já está onerado desde 2005, precisamente ao Novo Banco e ao BCP, para cobrir empréstimos num máximo de 145,6 milhões de euros – os bancos têm como garantia um penhor de primeiro grau sobre créditos do Grupo Sporting, patrocínios, direitos televisivos e contas bancárias.

Segundo o acordo estipulado em 2019, o Sporting teria de ir reforçando a Conta Reserva dos VMOC, sendo que falhar essa obrigação até ao final do ano significaria a ativação automática das garantias, cabendo aos bancos decidir se as executam por via judicial, ou seja, se a hipoteca passa a ser uma penhora