Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Portugal é dos países europeus com mais trabalhadores em plataformas eletrónicas

Joint Research Centre/Comissão Europeia
Joint Research Centre/Comissão Europeia
Autor: Redação

O peso do emprego gerado direta e indiretamente por negócios de plataformas digitais em Portugal é um dos mais elevados num conjunto de 14 países europeus, correspondendo a 10,6% do total no país. Em causa estão negócios de empresas como Uber, UberEats, Glovo, Cabify, Taxify, Zomato, Booking e Airbnb.

Esta é uma das conclusões de um estudo pioneiro do Joint Research Centre (JRC), da Comissão Europeia (CE). Segundo o mesmo, algumas destas companhias empregam diretamente os trabalhadores, mas parte da estatística também conta com aqueles que trabalham com a marca (usam a plataforma) e ganham dinheiro com isso. É o caso dos proprietários de alojamentos locais, por exemplo.

Como podes ver na imagem, que se apoia nos inquéritos conduzidos pelo serviço de ciência da CE, 10,6% da população adulta em Portugal poderá ter uma dependência financeiramente relevante deste tipo de atividades. Trata-se de um valor superior à média dos 14 países analisados (9,7%).