Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

O velho iPhone já não serve? A Apple lançou mais três (topo de gama)

Apple
Apple
Autor: Redação

O dia mais aguardado pelos fãs da Apple chegou e veio recheado de novidades. A empresa liderada por Tim Cook apresentou a nova geração de iPhones, que traz três novos modelos: o iPhone 11 Pro, o iPhone 11 Pro Max e o iPhone 11. Mas há mais. A tecnológica da maçã anunciou o lançamento do serviço de jogos Apple Arcade, bem como o serviço de streaming de filmes e séries Apple TV+.

Todos os anos há novos iPhones. E todos os anos há pessoas a querer esses novos iPhones, mesmo que nem precisem deles. Aquele que antes era apenas um evento de apresentação, é agora um espetáculo de vaidades tecnológicas. E a Apple sabe como “conquistar” o coração dos fãs. Como levar as pessoas que têm um bom telemóvel a querer outro? Tornando o novo produtivo atrativo.

Desta vez a Apple focou-se na fotografia, umas das características em que mais tem apostado. Os novos iPhones 11 Pro e Pro Max têm três câmaras traseiras: uma grande angular, uma ultra grande angular e uma teleobjectiva (todas têm 12 megapíxeis). O Pro tem um ecrã de 5,8 polegadas, e o Max de 6,5. O modelo de gama mais baixa, o iPhone 11, tem duas câmaras traseiras, também com 12 megapíxeis.

Não percebes nada de píxeis e polegadas? Não faz mal. A maioria das pessoas não percebe, e nem por isso resiste ao fascínio daquele que é o “último grito” da tecnologia. E vamos juntar-lhe mais um termo difícil: 'deep fusion'. O que é que significa? Trata-se de um software que faz com que as câmaras capturem nove imagens, combinando-as depois numa só fotografia. Mas calma, esta novidade não é para já. Virá depois, quando a Apple disponibilizar uma atualização de software.

E mais um detalhe para os fãs de “selfies”. Sim, a Apple pensou em vocês. A câmara selfie vai poder ser mudada para versão panorâmica para que mais pessoas caibam numa foto.

1.000 euros não chegam para os iPhone Pro

Quem é um “Apple addicted” (viciado em Apple) sabe que 1.000 euros nunca não suficientes para comprar os novos modelos de iPhone. O modelo de gama baixa, o iPhone 11, vai estar disponível em Portugal a partir de 829 euros, mas para alcançar os topos de gama iPhone 11 Pro e iPhone 1 Pro Max serão precisos desde 1.179 euros e 1.279 euros, respetivamente.

A linha Pro vai estar disponível em prateado, cinzento espacial e dourado, mas também verde-hortelã.

E porque um iPhone nunca vem só, foram reveladas novas versões do iPad e do relógio Apple Watch. Assim, chegará ao mercado a 7.ª geração do iPad, com um ecrã retina de 10,2 polegadas (por 399 euros) e a série 5 do Apple Watch (preços começam nos 360 euros), com um novo ecrã retina que está sempre ligado.

Apple TV+ e serviço de jogos em marcha

A Apple anunciou ainda o lançamento do serviço de jogos Apple Arcade, que estará disponível a partir de 19 de setembro, e o serviço de streaming de filmes e séries Apple TV+, que poderá ser subscrito a partir de novembro – vai rivalizar com a Netflix, Hulu e Amazon Prime.

O Apple Arcade vai custar 4,99 dólares por mês, o mesmo preço da assinatura mensal da Apple TV+, que poderá ser vista em mais de 100 países. Quem comprar novos iPhones, Macs ou iPads também receberá um ano de subscrição gratuita.