Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Chega a Barcelona o primeiro pavimento que produz energia captando a luz solar

A Plaça de les Glòries é o espaço escolhido para fazer o teste piloto deste pavimento, que funcionará como calçada e gerador de energia limpa.

Primeiro pavimento de energia solar em Espanha
Primeiro pavimento de energia solar em Espanha

Barcelona dá mais um passo rumo à sustentabilidade. A Plaça de les Glòries é o espaço escolhido pela Câmara Municipal da cidade espanhola para colocar um pavimento fotovoltaico e fazer um teste piloto deste produto inovador. Esta é a proposta vencedora de um concurso que foi lançado com o objetivo de conhecer potenciais soluções para gerar energia renovável em pavimentos. Ao realizar esta experiência será possível analisar a viabilidade da sua implementação nas ruas, praças e estradas de acesso em Barcelona.

A proposta vencedora, apresentada pelo grupo empresarial Sorigué, consiste num pavimento fotovoltaico. A empresa, em colaboração com a startup húngara Platio, propôs um pavimento que produz energia através da luz solar e que é facilmente integrado no espaço urbano, transformando-o ao mesmo tempo numa referência em arquitetura e sustentabilidade.

Segundo o Sorigué, a solução visa tanto a geração de energia limpa, como a utilização de recursos e materiais sustentáveis para a sua produção. Para obter valor a partir dos resíduos, o pavimento solar inclui uma base composta por plástico e vidro reciclado, bem como um desenho modular que facilita a sua instalação e manutenção. A engenharia garante resistência à carga, a impactos e às mudanças do clima, tornando-o numa solução que respeita o meio ambiente.

Teste piloto durará seis meses

Para levar a cabo o teste piloto vão ser colocados 50 metros quadrados (m2) de pavimento gerador fotovoltaico num espaço representativo da cidade. Neste caso, foi escolhida uma pequena área em redor da Plaça de les Glòries, na Avenida Diagonal 254.

Esta instalação permite a utilização regular como pavimento e ao mesmo tempo a sua disposição irá permitir-lhe captar a luz solar, transformando-a em energia elétrica. A energia elétrica gerada vai ser conectada com a rede geral e será possível avaliar o potencial deste tipo de solução na cidade.

Durante o período de instalação, de aproximadamente seis meses, a Agência de Energia fará o acompanhamento e monitorização dos dados de geração de energia do pavimento e vai avaliar o cumprimento dos objetivos planeados. Após seis meses de testes, a comissão de motorização avaliará o funcionamento da instalação e o potencial para replicar a solução para outras áreas da cidade.

Este projeto faz parte do compromisso da cidade com a Agenda 2030 e da necessidade de responder aos grandes desafios da transição ecológica e digital para fazer de Barcelona uma cidade mais resiliente face às novas crises. A par desta iniciativa há também a necessidade de apostar na inovação e em setores estratégicos como a economia verde, que ajudam a diversificar e transformar a economia de Barcelona em direção a um modelo mais sustentável.

A cidade espanhola pretende ser neutra em carbono até 2050 e reduzir as emissões de gases com efeito de estufa 50% até 2030, em comparação com os níveis de 1992. Isto requer uma mudança de modelo energético. Entre os desafios mais relevantes está o de aproveitar as grandes áreas da cidade para a produção de energia, como no caso do pavimento de energia solar.