Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Investimentos imobiliários no norte em plena crise: israelitas apostam na construção de hotéis e casas

Encabeçados pelo grupo Fortera, novos projetos somam 180 milhões de euros. Desde 2015, concluíram nove empreendimentos na mesma região.

Fortera
Fortera
Autor: Redação

Com perto de uma dezena de projetos imobiliários já concluídos na região norte de Portugal, os israelitas da Fortera mantêm a aposta no mercado nacional, apesar da crise instalada devido à pandemia da Covid-19. Depois de ter investido mais de 65 milhões de euros entre a construção de empreendimentos e a aquisição de terrenos e imóveis, este grupo prepara-se agora para voar mais alto e concentrar-se na execução de projetos mais ambiciosos, tendo em carteira investimentos na ordem dos 180 milhões de euros.

“Neste momento, estamos a alienar os nossos pequenos projetos e a focar-nos nos grandes desafios e projetos que temos em carteira”, avançou Elad Dror, CEO da Fortera, ao Negócios, detalhando que o “ano de 2019 foi de rompimento, quando fizemos aquisições estratégicas – fizemo-lo abaixo do preço de mercado, o que nos permite maior flexibilidade e capacidade para ultrapassar qualquer oscilação do mercado”.

Sobre a decisão de avançar com investimentos em plena pandemina, o gestor explica que, "embora a Covid-19 tenha impacto no curto prazo” a imobiliária está “otimista” em relação aos seus investimento em Portugal. “Felizmente, não temos nenhum hotel – os nossos estão programados para 2023-2024, sendo que todos esperamos voltar à normalidade até lá”, segundo argumenta.

Quanto ao segmento residencial, defendeu que o mercado-alvo da Fortera, “que é o mercado local, continuará a ter uma forte procura por moradias nas grandes cidades”. Sobre a situação de Portugal em relação à pandemia, o empresário israelita considerou que, “ao contrário dos seus vizinhos, conseguiu até agora evitar o caos total, o que é muito importante para os investidores que lideramos, mas sobretudo para o país”.

Os novos projetos na calha

Em maio do ano passado, por exemplo, compraram um terreno na Rua General Torres, em Gaia, junto à ponte D. Luís I, onde está previsto arrancar “em novembro” a construção de “um novo hotel de quatro estrelas, com 64 quartos, que será explorado por um grupo espanhol”, revelou ainda o gestor ao jornal, sem identificar o operador. O investimento “ronda os 8/9 milhões de euros e estará pronto no verão de 2023”.

E porque esta cidade constitui “um dos principais alvos” da Fortera, a promotora portuguesa de capitais israelitas adquiriu um terreno de 54 mil metros quadrados, nas traseiras dos Paços do Concelho, e está “em fase final de aquisição” de outro de 44 mil, “no local mais atraente da cidade, com as melhores vistas e o melhor acesso a todos os pontos de interesse de Gaia”, garantiu Dror, sem revelar a localização.

O primeiro terreno visa edificar o projeto Skyline, orçado “em 80 milhões de euros” e que é formado por um centro de congressos com 2.500 lugares, um hotel de cinco estrelas com mais de 250 quartos e um centro multiusos, com arranque da obra previsto para o próximo ano. “O centro de congressos atrairá conferências de todo o mundo e permitirá que a cidade se torne um centro de conhecimento, inovação e criatividade”, enfatizou o empresário ao diário.

Já o outro terreno, num projeto também orçado em 80 milhões de euros, destina-se à construção, a iniciar igualmente em 2021, de um complexo residencial com “mais de 300 apartamentos”, distribuídos por três torres, a edificar “entre três a quatro anos”. Entretanto, no Porto, vai arrancar, ainda este ano, com um investimento de 47 milhões de euros na construção de um hotel e 200 casas.

Na zona portuense do Bonfim, o grupo israelita Fortera prevê avançar em breve com a construção de um hotel de cinco estrelas e um complexo residencial, num investimento em parceria com os também israelitas Issta Lines e Fattal, que são a maior agência de viagens e o maior grupo hoteleiro do país, respetivamente. O hotel, que terá 258 quartos e cerca de 16.500 metros quadrados de área de construção, irá nascer na Avenida Camilo, em frente à Escola Secundária Alexandre Herculano, num investimento de 27 milhões de euros.

Ali perto, na Rua do Bonfim, a Fortera e os seus sócios vão investir 20 milhões de euros na construção de um empreendimento com cerca de 200 apartamentos. “Começaremos as obras de ambos os projetos até ao final deste ano, para terminar no verão de 2023”, garantiu o CEO Elad Dror.