Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Prédio degradado em Braga ganha “segunda vida” como residência privada de estudantes

A residência será edificada na Travessa Dr. Francisco Machado Owen e terá 170 unidades de alojamento.

Mitchell Luo on Unsplash
Mitchell Luo on Unsplash
Autor: Lusa

Um prédio degradado e que está há décadas votado ao abandono em Braga vai ganhar uma “segunda vida” como residência privada de estudantes, com 170 unidades de alojamento. A Câmara Municipal de Braga (CMB) aprovou, esta segunda-feira (28 de dezembro de 2020), em reunião do executivo, o interesse público da construção do imóvel, com a abstenção do PS e a CDU. 

A residência será edificada na Travessa Dr. Francisco Machado Owen, no local ocupado por um prédio degradado e que está há décadas votado ao abandono. A iniciativa é da empresa de construção Britalar, que já apresentou o respetivo pedido de informação prévia.

“Vemos com muito bons olhos a resolução de um problema urbanístico que se arrasta há muitos anos”, disse o presidente da autarquia, Ricardo Rio.

O vereador da CDU, Carlos Almeida, alertou para o facto de a nova residência se situar “a poucos metros” de um outro complexo de alojamento estudantil público, da Universidade do Minho. “Pode haver aqui um conflito latente”, referiu.

No entanto, Ricardo Rio considerou que a localização “é irrelevante”, face à “exiguidade” da oferta de alojamento ara estudantes na cidade.

“A proximidade até pode criar sinergias”, referiu, para vincar que o investimento numa nova residência “será muito bem vindo, já que o público não corresponde às necessidades do mercado”.

Para o vereador do Urbanismo, Miguel Bandeira, o investimento resolverá “um dos problemas urbanísticos graves” da cidade, “que se arrasta há algumas décadas”, seja do ponto de vista da indigência, seja em termos de saúde pública.

“Ainda bem que há esta iniciativa”, referiu, aludindo que o alojamento universitário é “uma das carências mais gritantes” do concelho.