Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Mais 375 casas de renda acessível em Almada e Setúbal - investimento ronda os 51,9 milhões

IHRU lançou três concursos para selecionar as equipas de projetistas para cada empreendimento.

Novas casas com rendas acessíveis em Almada
Almada / Wikimedia commons
Autor: Redação

Vão nascer novas habitações de renda acessível em Almada e em Setúbal. O Instituto da Habitação e da Reabilitação Urbana (IHRU) lançou esta quarta-feira, dia 13 de outubro de 2021, três concursos com vista à seleção das equipas de projetistas que vão ficar encarregues de desenhar os três novos empreendimentos. Dois destes situam-se em Almada e vão dar lugar a 214 novas casas de arrendamento acessível. E um localiza-se em Setúbal, que colocará neste mercado mais 161 novas residências.

Os terrenos escolhidos para erguer estes novos edifícios nestes municípios são do próprio IHRU. E o investimento para a elaboração de projetos e construção de habitações é superior a 51,9 milhões de euros, segundo revela o instituto em comunicado. Só nestes três novos empreendimentos vão nascer um total de 375 novas casas de arrendamento acessível:

São Francisco Borja, Almada

Arrendamento acessível em Almada
São Francisco Borja, Almada / IHRU
O São Francisco Borja trata-se de um complexo habitacional que se vai localizar em Almada, em concreto entre a Rua de Alcaniça, a Rua das Quintas e o Jardim de São Francisco Borja. Aqui vão nascer entre dois a quadro edifícios com, no máximo, cinco pisos acima do solo e dois abaixo. Estes prédios vão dar lugar a um total de 72 casas, sendo que a área bruta de construção das habitações é de 6.411 metros quadrados (m2), segundo detalha o IHRU.

Com uma área de intervenção de 3.761 m2 e uma área máximo de implantação de 2.284 m2, este projeto vai requerer um investimento total por parte do IHRU de cerca de 8.766.000 euros. Note-se que este valor não inclui o terreno.

Três Vales, Almada

Arrendamento acessível em Almada
Três Vales, Almada / IHRU
Também em Almada vai nascer o conjunto habitacional Três Vales. É a rua onde se localiza que dá o nome a este futuro complexo habitacional que terá uma área bruta de construção de habitação de 21.618 m2, para um total de 142 casas.

O local a intervir tem uma dimensão de 14.295 m2 e uma área máxima de implantação de 5.084 m2. O investimento total do IHRU nesta operação será na ordem dos 19.526.000 euros, não incluindo o valor do terreno.

Varandas do Sado, Setúbal

Arrendamento acessível em Setúbal
Varandas do Sado, Setúbal / IHRU

Varandas do Sado. Este é o nome do empreendimento residencial que vai ser desenvolvido em Setúbal, junto à Avenida Mário Ventura Henriques e à Rua das Amendoeiras. Trata-se de um terreno composto por quatro lotes que possui uma área total a intervir de 14.068 m2 e uma área máxima de implantação de 3.275 m2 .

É aqui que poderão nascer edifícios que terão entre seis e nove pisos acima da cota de soleira, correspondendo a uma área bruta de construção de habitação de 16.419 m2 e um total de 161 casas de arrendamento acessível. Não incluindo o valor do terreno, estima-se que o investimento total do IHRU nesta operação seja de 23.675.000 euros.

Concursos também preveem prémios

Para os vencedores dos concursos, além do concreto do projeto, está também prevista a atribuição de prémios pecuniários aos três projetos candidatos com melhor classificação, em cada concurso, perfazendo um total de 64.000 euros em prémios, lê-se ainda no documento.

Estes concursos contam com a assessoria da Ordem dos Arquitectos – Secção Regional de Lisboa e Vale do Tejo e com a colaboração dos respetivos municípios. E todas as informações estão disponíveis no sítio da Internet do IHRU.

Note-se que a primeira fase do Plano Habitacional Almada Poente (lançada em 2020) contempla outros empreendimentos, sendo que, em três casos, os respetivos projetos estão em elaboração: o conjunto habitacional de Alfazina, o edifício habitacional da Quinta do Olho de Vidro e o conjunto habitacional de Alcaniça.

Arrendamento acessível em Setúbal
Setúbal / Wikimedia commons