Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Construção: Opway discorda de dívidas apontadas pelo tribunal

Autor: Redação

A administração da construtora Opway discorda dos montantes de dívida identificados pelo Tribunal da Comarca de Lisboa no âmbito do processo especial de revitalização (PER) da Opway Engenharia.

Segundo o Expresso, a lista provisória de credores aponta à empresa dívidas de cerca de 675 milhões de euros (incluindo 6,4 milhões de euros de juros), mas a Opway garante que a dívida real é menor, já que nesse montante estão incluídos 380 milhões de euros de “créditos contingentes que, embora reclamados, já não correspondem a qualquer compromisso por parte da Opway Engenharia”. “Estes créditos estão a ser impugnados pela Opway, porque simplesmente não existem”, revelou o administrador financeiro do grupo, Paulo Curado.  

A publicação avançou que o PER da Opway Engenharia revelava dívidas de 675 milhões de euros, dos quais 272 milhões à CGD, 119 milhões ao BPI e 47,4 milhões ao BCP. A administração da Opway contesta, todavia, grande parte dos montantes que a lista provisória de credores publicada no portal Citius elenca, lembrando que “a listagem (provisória) dos créditos tem como objetivo apurar a contagem de votos dos credores”.

As dívidas assumidas pela Opway Engenharia são 111 milhões de euros a bancos e 23 milhões de euros a fornecedores, havendo ainda 27 milhões de euros a empresas do Grupo Espírito Santo (GES), que, pela sua natureza de crédito subordinado, não têm exigibilidade, referiu a construtora.

Quanto à Opway SGPS, que também tem em curso um PER, a administração deve 1,3 milhões de euros a bancos, 70.000 euros a fornecedores e 51,5 milhões de euros a empresas do GES – também como crédito subordinado.  

O grupo Opway, que durante anos pertenceu ao GES, foi recentemente adquirido através de uma operação de compra por parte da equipa de gestão (liderada por Almerindo Marques).