Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Império Sonae: Cláudia Azevedo é a senhora que se segue

Autor: Redação

Cláudia Azevedo, a filha mais nova de Belmiro de Azevedo, sucede ao irmão Paulo Azevedo e a Ângelo Paupério na liderança executiva do grupo Sonae. Os dois gestores, que até agora repartiam a gestão executiva do grupo, vão passar a ter funções não executivas na empresa, sendo que a decisão de mudar a estrutura organizativa só entra em vigor no próximo mandato.

“Na sequência da vontade manifestada pelos Engs. Paulo Azevedo e Eng.º Ângelo Paupério de, após o termo do corrente mandato, passarem o testemunho das funções executivas até agora exercidas no Conselho de Administração da SONAE, este último, no âmbito da sua responsabilidade pela identificação de potenciais candidatos com perfil para o desempenho de funções de administrador, comunicou à EFANOR a sua intenção de fazer eleger para o cargo de Presidente da sua Comissão Executiva, com efeitos a partir do termo do corrente mandato, a Dr.ª Cláudia Azevedo”, lê-se no comunicado enviado pela Sonae à CMVM.

Separar gestão familiar da dos negócios do grupo é o objetivo

Com a passagem de Cláudia Azevedo para o cargo de CEO da Sonae, Ângelo Paupério e Carlos Moreira da Silva ganham poderes dentro da família e transitam para o conselho de administração da Efanor, escreve o ECO, frisando que é a primeira vez que nomes fora da família Azevedo assumem lugar na administração da holding pessoal da família.

Na prática, estas mudanças anunciadas na Sonae SGPS, que nos aspetos mais visíveis se vão traduzir pelo afastamento de Paulo Azevedo da gestão ativa e a sua substituição pela irmã, Cláudia Azevedo, pretendem separar, de forma clara, a gestão dos negócios da família Azevedo da dos negócios do grupo. Por isso, mais importantes que as mudanças na gestão da Sonae SGPS são as alterações na Efanor

“É um projeto para preparar os próximos 20 anos”, explicou ao Público um quadro superior do grupo, acrescentando que o novo modelo está mais ajustado às características que as diferentes holdings Sonae estão crescentemente a adotar, “a de gestoras de participações”. 

Quem é Cláudia Azevedo?

A filha mais nova de Belmiro de Azevedo tem 48 anos e foi a única entre os irmãos que estudou em Portugal: licenciou-se em Gestão pela Universidade Católica e depois tirou um Master of Business Administration (equivalente a uma pós-graduação) no Instituto Europeu de Administração de Empresas. Chegou a ser, por exemplo, administradora no jornal Público, escreve o Observador.

Belmiro de Azevedo disse que a filha era talvez a mais parecida consigo, “a que tem mais ‘killer instinct’”, pode ler-se no livro “O Homem Sonae”. Segundo o pai, Cláudia Azevedo gosta de Monty Python e é fluente em inglês, tendo estudado num colégio interno no Reino Unido dos 15 aos 18 anos.

Nova CEO com ADN Sonae

Entrou na Sonae depois de ter terminado a licenciatura, em 1992, para integrar a área financeira com um projeto com cartões de crédito Visa Universo e, mais tarde, Banco Universo. Esse projeto, onde Cláudia era diretora de marketing, terminou cinco anos depois, ao ser vendido ao banco BPI. Foi aí que a filha mais nova de Belmiro de Azevedo se mudou para a Optimus, onde continuou na área do marketing e onde lançou os telemóveis vendidos em supermercados pela primeira vez em Portugal. 

Em 2012, tornou-se administradora da Zopt, nascida da Sonaecom e de Isabel dos Santos, para controlar a Zon-Optimus e um ano mais tarde tornou-se presidente da Sonae Capital, cargo que agora “largou”, escreve a publicação. 

De referir que Cláudia Azevedo tem dois filhos e é casada com Miguel Barros, presidente da agência de publicidade Fuel e da Associação Portuguesa das Empresas de Publicidade, Comunicação e Marketing.

Mandato arranca para o ano

Entretanto, numa declaração escrita enviada ao Jornal de Negócios, Cláudia Azevedo realçou “o voto de confiança manifestado pelo Conselho de Administração da Sonae e pelo Conselho de Administração da Efanor na proposta” da sua “eleição para CEO da Sonae para o mandato a iniciar em 2019”. 

A gestora disse que aceitou o desafio “com a convicção de quem olha para o futuro e tem a confiança de ter nos valores Sonae a determinação e otimismo necessários para enfrentar os desafios que seguramente surgirão”.