Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

El Corte Inglés na Boavista ainda sem luz verde: cadeia espanhola vai reformular projeto

Câmara Municipal do Porto diz que Pedido de Informação Prévia (PIP) pode ser indeferido se o projeto não for retificado.

Google Maps
Google Maps
Autor: Redação

O El Corte Inglés vai apresentar uma reformulação do projeto para os terrenos da antiga estação ferroviária da Boavista, no Porto, esclarecendo que a intenção de indeferimento do pedido de informação prévia é um procedimento “normal”.

A diretora de Comunicação e Relações Institucionais da cadeia espanhola, Susana Martins dos Santos, explicou esta terça-feira (2 de maio de 2020), em declarações à Lusa, que não houve um indeferimento do Pedido de Informação Prévia (PIP), apenas a comunicação por parte da Câmara Municipal do Porto (CMP) da intenção de indeferir o pedido caso o projeto não seja retificado. “Trata-se de um procedimento normal no âmbito de um PIP. O El Corte Inglés fará, dentro do prazo legal, a reformulação que tiver de fazer”, referiu.

De acordo com a responsável, a posição do grupo não mudou, mantendo-se a intenção de fazer naquele local um investimento, “assim haja condições para tal”, e contribuir, na medida do possível, para a qualificação do comércio.

O Movimento por um Jardim Ferroviário revelou que “a proposta de decisão final apresentada pelos serviços da câmara foi desfavorável, tendo por base a auscultação de vários departamentos internos da CMP e de entidades externas, que se pronunciaram, na quase totalidade, negativamente”.

De acordo com o movimento cívico, a decisão foi comunicada ao promotor do projeto dia 5 de maio, tendo decorrido nos 10 dias subsequentes o período de audiência prévia.

“Tanto quanto pudemos apurar, o promotor não se pronunciou nesse período, pelo que temos assim a legítima expetativa de que seja brevemente comunicada a decisão de arquivamento do processo, indo desta forma a CMP ao encontro da vontade expressa por quase 5.000 subscritores da petição a favor de um jardim público no centro da Boavista e não mais um centro comercial, assim como do movimento cívico pela preservação do edifício histórico da estação de comboios da Boavista", refere o Movimento por um Jardim Ferroviário, em comunicado.

Até ao momento, o El Corte Inglés pagou à Infraestruturas de Portugal (IP), proprietária do terreno, 18,7 milhões de euros, tendo, em outubro de 2019, submetido um PIP para a construção de um grande armazém comercial, de um hotel e de um edifício de habitação comércio e serviços, escreve a agência de notícias, citando um artigo do jornal Público datado de novembro de 2019.

O projeto da cadeia espanhola para a antiga estação ferroviária da Boavista tem sido alvo de contestação praticamente desde que foi anunciado, tendo levado, em setembro de 2019, à criação de uma petição que já conta com mais de 4.800 signatários.