Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

BCP quer vender malparado e resorts de luxo no Algarve por 145 milhões

Nesta carteira integra-se o 'resort' Monte Rei e o Castro Marim, que possuem grandes campos de golfe.

Castro Marim Resort algarve
Castro Marim Resort / Creative commons
Autor: Redação

Chegou ao mercado uma nova carteira que inclui crédito malparado e vários imóveis no Algarve. Trata-se do designado “Projeto Green” pelo qual o BCP pede 145 milhões de euros. E os potenciais compradores já estão a ser contactados pelo banco.

Na dimensão imobiliária desta carteira integram-se dois resorts de luxo situados na região algarvia, segundo revela o ECO. Um deles é o conhecido Monte Rei, um complexo com mais de 400 hectares de terreno situado junto à fronteira de Vila Nova da Cacela, que inclui villas, moradias, apartamentos, lotes de construção e campos de golfe. Outro é o resort Castro Marim, no qual também se integram moradias, lotes, campos de golfe e espaços para eventos. Além destes imóveis, esta carteira possui ainda outros ativos localizados em Tavira, São Brás de Alportel e Loulé, refere o mesmo meio.

Esta não é a primeira vez que o BCP tenta vender estes dois resorts. O banco já os havia incluído no ‘Projeto Ellis’, mas acabou por os retirar da carteira antes de esta ser vendida ao fundo Davidson Kempner no final de 2020.

Resort Monte Rei Algarve
Resort Monte Rei / Creative commons

Lucros de 12,3 milhões até junho

Foi esta segunda-feira (dia 26 de julho de 2021) que o BCP apresentou os resultados da primeira metade do ano que dão conta de um resultado líquido de 12,3 milhões de euros, “incluindo provisões de 214,2 milhões para riscos legais associados a créditos CHF na Polónia e contribuições obrigatórias para o setor bancário em Portugal de 56,2 milhões”, segundo se lê na apresentação publicada na Comissão de Mercado de Valores Mobiliários.

Note-se que no início do ano o BCP também colocou no mercado uma outra carteira de crédito malparado no mercado – o ‘Project Row’,  avaliado em 180 milhões de euros. A apresentação de ofertas vinculativas terminou no passado dia 21 de maio de 2021, tal como noticiou o idealista/news.