Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Casa de luxo de Duarte Lima em Lisboa vendida em leilão por mais de dois milhões

A casa em causa resulta da junção de um T6 com um T4 / OneFix Leiloeiros Lda.
A casa em causa resulta da junção de um T6 com um T4 / OneFix Leiloeiros Lda.
Autor: Redação

O apartamento de luxo de Duarte Lima em Lisboa, que estava a ser leiloado no âmbito de um processo de insolvência, foi arrematado esta quarta-feira (3 de abril de 2019) por 2,035 milhões de euros, sendo que o valor-base era de 1,96 milhões de euros. A OneFix ficou responsável pelo leilão eletrónico, que começou a 28 de fevereiro.

A casa em causa, localizada no 11º andar do número 1 da Avenida Visconde Valmor, nas Avenidas Novas, tem 501 metros quadrados (m2) e resulta da junção de um T6 com 274 m2 com um T4 com 227 m2. O novo dono do imóvel passa a ter também de dois lugares de garagem fechados. 

Segundo o ECO, que cita a leiloeira OneFix, o imóvel do exdeputado do PSD foi mostrado a 10 interessados, sendo que todos eles falavam português.

Em leilão estava ainda um conjunto de obras de arte e mobiliário, com um valor base de 40 mil euros, com destaque para um órgão de que Duarte Lima é um tocador exímio, escreve o Jornal de Negócios. Este leilão encerrou, no entanto, sem qualquer licitação.  

De recordar que Duarte Lima foi declarado insolvente a 16 de dezembro de 2016, pelo Tribunal da Comarca de Lisboa, após o Novo Banco e a Parvalorem, a ‘holding’ pública que gere os ativos tóxicos do antigo BPN, exigirem a Duarte Lima o pagamento de uma dívida de 31,6 milhões de euros.

O desfecho deste leilão aconteceu depois de o Tribunal Constitucional ter voltado a recusar, em fevereiro, analisar um recurso de Duarte Lima no caso BPN/Homeland, estando iminente a sua prisão para cumprir a pena de seis anos a que foi condenado por burla e branqueamento de capitais – no montante de 47 milhões de euros.

Em causa está um processo relacionado com a aquisição de terrenos no concelho de Oeiras para a construção do Instituto Português de Oncologia com um empréstimo do BPN, escreve o Jornal de Negócios.

Em janeiro, recorde-se, Duarte Lima foi absolvido do crime de abuso de confiança de que estava acusado, alegadamente por se ter apropriado de 5 milhões de euros que pertenciam a Rosalina Ribeiro, assassinada no Brasil em 2009.