Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Vão nascer mais de 100 apartamentos em Miraflores – após investimento belga de 55 milhões

Krest
Krest
Autor: Redação

A belga Krest Real Estate Investments acabou de anunciar o lançamento de um novo empreendimento residencial em Miraflores, no concelho de Oeiras, às portas de Lisboa. O condomínio vai ter 119 apartamentos distribuídos por três edifícios - um deles será uma torre com 15 andares –, cujo investimento irá rondar os 55 milhões de euros.

O empreendimento residencial premium de construção nova já tem nome. Vai chamar-se Jardim Miraflores e será constituído por três edifícios, a Torre Girassol (com 16 pisos e 68 apartamentos), o Lotus Living (com 9 pisos e 47 apartamentos e 6 escritórios) e a Villa Iris, com quatro apartamentos. As tipologias das 119 casas irão oscilar entre T1 e T5, com áreas entre 60 e 274 metros quadrados (m2), que irão gozar de piscinas, ginásio, jardins e terraços privativos e salas de condomínio. O empreendimento também compreende ainda espaços destinados a comércio, serviços e 274 lugares de estacionamento.

Com vários ativos em Portugal, a empresa liderada por Claude Kandiyoti aposta pela primeira vez na promoção residencial em Portugal, numa estratégia de mercado com vista a “preencher uma lacuna nas necessidades dos portugueses: habitação nova de qualidade na Grande Lisboa”, lê-se no comunicado da empresa.

O novo empreendimento deverá começar a ser construído em julho do próximo ano e estar concluído em 2022.

Lisboa em “segundo plano” por atrasos nos licenciamentos

A empresa garante estar de olho em investimentos fora da cidade de Lisboa, face aos crescentes atrasos nos licenciamentos. O CEO da companhia belga reconheceu que esta demora é um forte entrave para os investidores, mas considera que a situação se deve "à falta de recursos da Câmara e não a qualquer má vontade política", segundo as declarações ao Negócios.

O responsável adiantou que "nos tempos mais próximos" a Krest deverá manter-se afastada de Lisboa quanto ao mercado residencial. "Nós não pretendemos fazer projetos para clientes estrangeiros, queremos empreendimentos destinados aos portugueses, com preços que estes possam pagar", disse, citado pela publicação. “Lisboa não é, neste momento, uma cidade barata em comparação com outras capitais europeias e os preços que se praticam preocupam-me", acrescentou ainda.

A empresa de investimentos imobiliários pertencente à família Kandiyoti, sediada na Bélgica, com escritórios em Bruxelas, Lisboa e Porto. A operação imobiliária do grupo começou no início de 2000 na área dos armazéns logísticos em Bruxelas, e em 2005 o grupo lançou o Axis Office Park no sul de Bruxelas. Atualmente está envolvido em empreendimentos residenciais e comerciais na Bélgica.

Em Portugal, em 2014 adquiriu um portfólio de 11 edifícios arrendados ao Governo português no centro de Lisboa. Adquiriu ainda um terreno na área da Expo, onde está a desenvolver um hotel da marca Moxy de 224 quartos e uma torre comercial de 15.000 m2 designada K-Tower.