Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Lisboa, a segunda cidade mais criativa e cultural do momento na Europa - ao lado das nórdicas

Photo by Miguel Ferreira on Unsplash
Photo by Miguel Ferreira on Unsplash
Autor: Redação

O diagnóstico é da Comissão Europeia (CE): Lisboa é a segunda capital europeia mais cultural e criativa, na lista de cidades entre 500 mil e um milhão de habitantes, depois de Copenhaga, na Dinamarca, e seguida de Estocolmo, na Suécia, tal como indica a segunda edição do Observatório das Cidades Culturais e Criativas, uma ferramenta online da CE que mede o desempenho das cidades.

No grupo das chamadas grandes metrópoles, o pódio do potencial criativo e cultural é encabeçado por Paris, seguido por Munique, Londres, Milão e Berlim. Já no patamar das cidades de menor dimensão (menos de 500 mil habitantes) a liderança vai para Florença (Itália) e com menos de 250 mil para Lund, na Suécia que se estreia entre as cidades de topo, face à edição de 2017.

De acordo com este Observatório, as cidades mais criativas e culturais são também as mais prósperas, colocando em evidência uma correlação estreita e positiva entre os resultados obtidos no Índice das Cidades Culturais e Criativas e os níveis de rendimento das cidades.

Com este mapa interativo online é possível monitorizar e avaliar o desempenho das cidades, comparando-as com as que apresentam as mesmas características. E pode concluir-se que Portugal, além de Lisboa, tem ainda Guimarães, Braga, Porto, Coimbra, Sintra, Lisboa e Faro no ranking elaborado pela CE, que considera o potencial criativo e cultural das cidades europeias um veículo para potenciar o crescimento económico e a coesão social. 

Na amostra de cidades analisadas, os espaços culturais localizam-se, em regra, a menos meia hora a andar (cinco minutos de bicicleta) da residência dos consumidores, sendo facilmente acessíveis por transportes públicos.