Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

10.000 casas com rendas acessíveis para a classe média - a nova promessa do Governo

Costa diz ser preciso "aumentar a oferta pública de habitação, seja por iniciativa municipal, mas também do Estado”.

Photo by Mahkeo on Unsplash
Photo by Mahkeo on Unsplash
Autor: Redação

O primeiro debate do novo Governo no Parlamento - tomou posse a 26 de outubro de 2019 - trouxe para cima da mesa o problema da habitação. Para dar resposta a esta necessidade, o primeiro-ministro, António Costa, anunciou que o Estado vai disponibilizar mais de 10.000 casas com rendas acessíveis em todo o país, sobretudo para a classe média.

O chefe do Governo socialista começou por referir que, para “promover um mercado de arrendamento equilibrado, acessível e seguro para todos”, será “necessário aumentar a oferta pública de habitação, seja por iniciativa municipal, mas também do Estado”.

“Pretendemos até ao final da legislatura, disponibilizar uma oferta pública para arrendamento acessível por parte do Estado de mais 10.000 habitações”, prometeu António Costa esta quarta-feira, 30 de outubro, durante o debate do Programa do Governo, citado pelo ECO.

António Costa reconheceu as “grandes dificuldades” com as quais “a classe média e, muito em especial, as novas gerações” se confrontam no que diz respeito à habitação, referindo, a propósito, a criação do Programa de Arrendamento Acessível (PAA) “para que seja possível arrendar uma casa adequada, com uma taxa de esforço compatível com o rendimento das famílias”.

Casas para todos em cinco anos

O Levantamento Nacional das Necessidades de Realojamento Habitacional, promovido pelo Instituto da Habitação e da Reabilitação Urbana (IHRU), concluiu que há perto de 26.000 famílias a precisarem de habitação condigna no país.

Para dar resposta a esta realidade, da classe mais baixa, Costa voltou a frisar no debate o que já havia dito em julho, durante o discurso que proferiu no antigo Hospital Miguel Bombarda, em Lisboa, edifício que está devoluto desde 2011 e faz parte do PAA. Costa quer casas para todos até 2024, ano em que o país celebrará os 50 anos do 25 de abril.