Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Só há 300 camas para universitários do universo de 2.500 prometidas pelo Governo

Falta de camas no ensino superior continua a ser um problema em Portugal.

Photo by Siora Photography on Unsplash
Photo by Siora Photography on Unsplash
Autor: Redação

O problema da falta de camas para estudantes no ensino superior é uma realidade, e a oferta continua longe de satisfazer as necessidades do país. O Plano Nacional para o Alojamento no Ensino Superior (PNAES), anunciado no ano passado pelo Governo, prometia 2.500 camas em residências universitárias para este novo ano letivo, mas feitas as contas, só foram criadas 300.

O Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior anunciou a existência de 18.455 camas disponíveis para os alunos este ano – mais 16% que no ano anterior, sendo esta, aliás, a maior oferta dos últimos anos em termos de alojamento estudantil. No entanto, segundo a notícia avançada pelo Público, deste número, são poucas as camas novas criadas em residências universitárias, ao contrário do que prometia o PNAES. O Governo apontou para 2.500, mas só há 300.

Segundo contas feitas pelo jornal, houve um aumento de 208 camas em relação ao ano passado, às quais se juntam investimentos pontuais, mas cuja oferta total não é muito alargada. São exemplo o Politécnico de Coimbra, que inaugurou esta semana uma residência para 26 estudantes, e a Universidade do Porto, que criou espaço para 35 camas na antiga Messe de Sargentos do Exército.