Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Porto: Shopping Brasília lança campanha para arrendar 30% das lojas ainda disponíveis

O mais antigo centro comercial da Península Ibérica quer entrar no 45º aniversário com a totalidade das 270 frações comerciais ocupadas..

@Osvaldo Costa
@Osvaldo Costa
Autor: Elisabete Soares (colaborador do idealista news)

Um ano depois do lançamento do projeto de mudança de imagem e novo posicionamento de mercado, o centro comercial Brasília, no Porto, já conseguiu algumas vitórias, atraindo novas lojas temáticas e de comércio tradicional. Mas aquele que é o mais antigo centro da Península Ibérica tem atualmente vizinhos, outros shoppings mais recentes - e no médio prazo uma nova loja do El Corte Inglês -, e conta ainda com cerca de 30% do seu espaço comercial disponível para arrendar.

O objetivo do shopping da Praça de Mouzinho de Albuquerque, mais conhecida por Rotunda da Boavista, é “chegar ao 45º aniversário (foi inaugurado a 9 de outubro de 1976), com uma taxa de ocupação de 100%”, segundo disse ao idealista/news, Frederico Pacheco, responsável da equipa de marketing que lançou a iniciativa Open Brasília.

Com conclusão prevista para 2021, as obras de remodelação dos espaços comuns do Brasília ainda não foram iniciadas – um atraso que se deve à pandemia de Covid-19 - estando, de acordo com o responsável, na fase de escolha da empresa que vai executar as obras, que prevê se iniciem em breve.

Orçadas em meio milhão de euros – “verba que se encontra já disponível”, diz, - as obras de remodelação têm previsto um conjunto de melhorias, incluindo infraestruturas de caráter tecnológico, como a conetividade de wi-fi de última geração, mas também a colocação de uma nova iluminação, remodelação das casas de banho, reorganização do espaço e a criação de novas áreas comuns e mais facilidade no acesso ao shopping.

Valores de arrendamento entre 50€ e os 1200€

Constituído por mais de 270 frações comerciais, o Brasília tem agora 29 espaços disponíveis distribuídos por três categorias de lojas, “até 50 metros quadrados (m2), de 50 a 100 m2 e mais de 100 m2”, destaca Frederico Pacheco.

Assim, para os empresários que pretendam investir nas lojas do Brasília, “os valores de arrendamento, que variam em função da área naturalmente, estão entre os 50€ e os 1200€, numa média de 10€ o metro quadrado”, indica o responsável.

Já para os interessados na compra, os valores rondam entre os 10.000€ e os 150.000€, numa média de 900€ o metro quadrado. Como é esperado nestes espaços comerciais, quem tem mais visibilidade vê a loja valorizada. Ou seja, o valor em muitos dos casos é influenciado pela localização da loja.

“Através do link shoppingbrasilia.pt/open os interessados poderão marcar uma visita ao shopping de forma virtual ou presencial”, destaca Frederico Pacheco, frisando que os futuros ocupantes podem “beneficiar de condições especiais para a entrada, em serviços úteis para capacitar o negócio no momento atual, mas, também, tornando-o ajustado ao mundo digital”.

@Osvaldo Costa
@Osvaldo Costa

Lojas temáticas e de especialidade

O novo conceito desenhado para o Brasília, apresentado em outubro de 2019, aposta num shopping de negócios “que transmita a ideia de comércio de rua e lojas de especialidade”, destaca Frederico Pacheco numa visita guiada a este icónico espaço portuense.

Contudo, junta-se agora - sobretudo depois do impacto da pandemia -, a aposta nas lojas e marcas que “que também estejam capacitados para um contexto de venda online”, destaca o responsável.

Assim, a juntar às lojas temáticas como o Mundo da Fantasia, dedicada à banda desenhada, ou a Kero Kero, que vende pedras e cristais - que estão instaladas há vários anos no Brasília -, nos último meses abriram novas lojas como a TH Sport, dedicada ao desporto, ou o espaço Sabe a Brasil, uma loja com produtos brasileiros e que é já uma referência para esta grande comunidade a viver no Porto.

“A instalação de negócios que transmitam a ideia de comércio de rua e lojas de especialidade”, a par do conceito assente em espaços “inseridos num modelo de franchising e showroom, onde a venda passe pela experiência e, posteriormente, o cliente receba em casa o produto”, são, assim, uma forte aposta da iniciativa Open Brasília.

Frederico Pacheco alerta ainda o facto de o Brasília ter sentido necessidade de acelerar a implementação estratégica para a compra e arrendamento de lojas, “uma vez que o contexto de pandemia veio alterar o paradigma de consumo e necessidade do cliente de shopping”.

Antigo cinema Charlot à venda por 660 mil euros

Um dos espaços do emblemático Brasília era o Cinema Charlot, uma sala com 400 lugares, que encerrou no início do século. Propriedade atual de uma entidade bancária, o espaço está à venda num portal imobiliário por 660 mil euros.

“Espaço comercial, descrito como cinema, inserido no shopping Brasília”, refere o anúncio colocado no início de outubro.

Este espaço, que a administração de condomínio do Brasília considera que seria uma mais-valia na renovação e novo posicionamento do centro comercial – funcionando como uma sala de espetáculos, conferências ou ter outra utilização alternativa -, foi, em fevereiro de 2018, de acordo com notícia da Lusa, colocado em leilão pelas Finanças, por um euro. O espaço apresentava um valor patrimonial tributário de 780 mil euros.

A Lusa pediu, na altura, mais esclarecimentos ao Ministério das Finanças, mas disse ter ficado sem resposta.