Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Remax compra milhares de equipamentos de proteção para retomar atividade em segurança

A rede imobiliária vai distribuir viseiras e máscaras descartáveis a todos os colaboradores.

Photo by Pille-Riin Priske on Unsplash
Photo by Pille-Riin Priske on Unsplash
Autor: Redação

A Remax decidiu comprar 10.000 viseiras e 150.000 máscaras descartáveis para garantir que a retoma gradual da atividade se faz com toda a segurança necessária, agora que o Estado de Emergência foi levantado. O material, produzido no país, e que será oferecido a todos os colaboradores da rede imobiliária, pretende assegurar que o contacto com os clientes, nas várias fases do processo de compra, venda ou arrendamento de imóveis, segue em conformidade com as recomendações da DireçãoGeral da Saúde (DGS).

Segundo o comunicado da imobiliária, nas reuniões presenciais, visitas, idas a escrituras, Contratos-Promessa de Compra e Venda (CPCV), todos os agentes da Remax Portugal colocarão viseiras, podendo complementar com o uso de máscaras. “Também caberá aos profissionais entregar a cada cliente um equipamento de proteção individual (uma máscara descartável)”, lê-se ainda.

“Com o levantamento gradual das medidas restritivas, que vão permitir a reabertura dos espaços de trabalho dos nossos agentes e a realização de visitas a imóveis, queremos assegurar ao máximo a saúde e segurança dos nossos colaboradores e clientes”, defende Beatriz Rubio, CEO da Remax em Portugal. Para a responsável, “vivemos uma situação sem precedentes, pelo que é nossa responsabilidade adotar todas as precauções necessárias e adequadas a esta nova realidade, fomentando as boas práticas nos ambientes de trabalho.”

Beatriz Rubio acrescenta ainda, citada em comunicado, que o facto de terem conseguido que a “Remax Europa elegesse uma empresa portuguesa para assegurar a produção de máscaras certificadas é bastante importante”.  “Desde logo, porque vai ajudar uma empresa nacional a impulsionar os seus negócios e ainda demonstra bem que o setor empresarial português continua a mostrar-se resiliente e proativo, sendo um exemplo a nível europeu”, sublinha.