Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Como salvar vidas sem matar a economia?

Público
Público
Autor: Redação

Como salvar vidas sem matar a economia? A resposta a esta pergunta não é, claro, fácil de dar, mas há uma combinação de medidas que, a ser cumprida, garante “uma eficácia máxima” com o difícil equilíbrio entre restrições da mobilidade, controlo da pandemia e proteção da economia. Em causa está um estudo realizado pela consultora PSE, especializada em ciências de dados, denominado “Mobilidade, Pandemia, Economia – Impactos e Efeitos Multiplicadores”.

Segundo o Público, que se apoia no referido estudo, o incentivo de aulas online para alunos no terceiro ciclo e acima disso, a limitação da lotação dos transportes públicos e o reforço da oferta, restrições horárias das compras por segmentos etários e a manutenção obrigatória do teletrabalho são as quatro medidas que serão capazes de garantir uma eficácia máxima, com o mínimo de danos. 

O estudo conclui que a forma mais eficaz de controlar o número de contactos e contágios seria através de um ‘lockdown’ total. Uma medida que traria, no entanto, consequências sociais e económicas devastadoras.

Entre as outras possíveis medidas – umas mais fáceis de aplicar que outras – estão, por exemplo, o “trabalho alternado para 50% da população com rotatividade”, o “confinamento total apenas para concelhos em pior situação”, aulas online obrigatórias para o terceiro ciclo e acima disso até ao fim do ano letivo e a imposição de “bolhas sanitárias” em concelhos com risco muito elevado e extremo.