Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Casamentos

Últimas notícias sobre "Casamentos" publicadas em idealista.pt/news

Há mais casamentos infantis em Portugal – celebraram-se 113 em 2018

Casaram-se no ano passado 152 pessoas com menos de 18 anos (casamento infantil, segundo a definição da ONU) e celebraram-se pelo menos 113 casamentos em que pelo menos um dos cônjuges era menor de idade. Bem mais, portanto, que os casamentos celebrados quatro anos antes (63).

Notícia sobre:

Acabou o prazo internupcial: vai ser possível casar logo depois do divórcio ou viuvez

A partir do 1 de outubro de 2019 já vai ser possível casar logo depois do divórcio ou da viuvez. O Governo publicou em Diário da República a nova lei que acaba com a obrigatoriedade de respeitar um prazo antes de voltar a casar. A alteração ao Código Civil também deitou por terra a discriminação a que as mulheres estavam sujeitas – tinham de esperar 300 dias para voltar a casar, quase o dobro do tempo dos homens (180 dias).

Notícia sobre:

Dos convites à cerimónia: quanto custa casar em Portugal

Casar não tem preço. Ou será que tem? Depende do que se pretende fazer nesse dia especial. Mas vamos às contas. Desde os convites até ao bolo, quanto vale um casamento em Portugal?

Notícia sobre:

Há mais pessoas a nascer e casar em Portugal – mas também há mais óbitos

Em 2018, nasceram com vida 87.020 crianças de mães residentes em Portugal, mais 1% (mais 866 crianças) que no ano anterior, revelou o Instituto Nacional de Estatística (INE). A maioria dos nascimentos (55,9%) ocorreram “fora do casamento”.

Notícia sobre:

Portugal é o quarto país da UE com menos casamentos

Os portugueses são dos que menos casam na União Europeia (UE). Em 2017, registaram-se 3,3 casamentos por cada mil habitantes no país, segundo dados do Eurostat.

Notícia sobre:

Cobrança de IMI trata de maneira diferente uniões de facto e casamentos

As notas de liquidação do IMI já começaram a ser entregues e estão a levantar dúvidas. Isto porque na hora de cobrar o imposto é feita uma distinção entre as uniões de facto e os casamentos, ou seja, é tido em conta o regime de bens em que o prédio foi adquirido e não o facto de haver economia comum. Na prática, os casais em união de facto e separação de bens recebem liquidações separadas, pelo que o pagamento a prestações é dificultado.

Notícia sobre:
  •  
  •