Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Ministério das Finanças

Últimas notícias sobre "Ministério das Finanças" publicadas em idealista.pt/news

Estado paga 120 milhões por ano em rendas a privados

O Estado é proprietário de 18.085 edifícios e 5.745 terrenos em todo o país, mas paga 120 milhões de euros por ano em rendas a entidades privadas. Só o Ministério das Finanças tem arrendados 617 imóveis, que custam por ano 25,6 milhões de euros. Em causa estão dados do relatório da Direção-Geral do Tesouro e Finanças (DGTF), divulgado no final de janeiro.

Notícia sobre:

IMI: valor médio da construção mantém-se nos 482,20 euros este ano

O valor médio de construção por metro quadrado (m2), que entra em linha de conta na fórmula de cálculo no Imposto Municipal sobre Imóveis (IMI), já está definido para 2016 e irá manter-se nos 482,40 euros pelo sétimo ano consecutivo - após as descidas sucessivas dos anos de 2008 e 2009.

Notícia sobre:

Ministérios da Defesa e Finanças querem “desfazer-se” de 183 imóveis

Os ministérios da Defesa e das Finanças querem rentabilizar 183 imóveis através da venda, arrendamento ou cedência, entre outras soluções. A lista de imóveis – sem utilização – a colocar no mercado foi publicada num despacho assinado a dois dias das eleições. Recentemente, Bernardo Alabaça, sub-diretor geral da DGTF, disse ao idealista/news que estava em estudo a realização de uma hasta pública em dezembro com “imóveis afetos ao Ministério da Defesa”.

Notícia sobre:

Contribuintes VIP: polémica lista investigada pelas Finanças

O Ministério das Finanças solicitou esta segunda-feira à Inspeção-Geral de Finanças (IGF) a abertura de um inquérito sobre a alegada existência na Autoridade Tributária e Aduaneira (AT) de uma lista de 'contribuintes VIP'.

Notícia sobre:

IMI: Finanças garantem que imposto está a ser cobrado devidamente

A atualização do imposto municipal sobre Imóveis (IMI) está a ser feita de três em três anos, como está previsto no Código do IMI. A garantia foi dada esta quinta-feira pelo Ministério das Finanças, na sequência de uma denúncia da Deco de que este imposto está a ser cobrado em excesso (244 milhões de euros a mais) por falta de atualização automática da idade e do valor dos imóveis.

Notícia sobre:

Fisco já tirou este ano mais 74 euros a cada cidadão

A consolidação orçamental entre o primeiro semestre de 2013 e o mesmo período deste ano continua assente na receita. Os impostos foram decisivos na contenção do défice, que mesmo assim aumentou. A cada residente em Portugal corresponde, em média, mais 74 euros em impostos. Nos primeiros seis meses do ano, a fatura do IRS subiu 43 euros.

Notícia sobre:

IRS: senhorios vão poder deduzir mais despesas

A comissão do IRS, liderada pelo fiscalista Rui Duarte Morais, apresenta hoje no Ministério das Finanças um conjunto de recomendações – o chamado anteprojeto da reforma de IRS. Uma delas está relacionada com os contratos de arrendamento, já que prevê que os senhorios possam deduzir mais despesas de gestão e promoção de imóveis arrendados na declaração anual de rendimentos.

Notícia sobre:

Finanças têm por cobrar 13,5 mil milhões em dívidas fiscais

O Fisco tinha para cobrar uma dívida total de 13,5 mil milhões de euros em março deste ano. Trata-se de um montante – representa cerca de 8,2% do PIB – que tem vindo a cair desde 2012 e que se situa agora em valores inferiores aos verificados em 2002. O valor em falta atingiu os 14,2 mil milhões de euros no final de 2013 e três meses depois estava nos 13,5 mil milhões, uma quebra de 4,8% em três meses.

Notícia sobre:

Finanças travam classificação de imóveis do Estado para vendê-los

A austeridade levou o Governo a equacionar a venda de património imobiliário do Estado de forma a aumentar a receita. Atualmente, o Ministério das finanças está a travar a classificação de propriedades do Estado como monumentos nacionais, de forma a conseguir vendê-los com maior facilidade.

Notícia sobre:

Rumores do dia

ADSE não aumenta em 2015: O Governo não deverá aumentar a ADSE no próximo ano. O desconto dos funcionários públicos e pensionistas vai manter-se nos 3,5% e desaparece a contribuição da entidade empregadora (o Estado) de 1,25% sobre os vencimentos pagos. A garantia foi dada ao Jornal de Negócios por fonte do Ministério das Finanças. (Rádio Renascença)

Notícia sobre: