Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Corte nas pensões depende da evolução da economia e da demografia

Autor: Redação

O Governo já tem uma fórmula para substituir a Contribuição Extraordinária de Solidariedade (CES) e tornar definitivos os cortes nas pensões a partir do próximo ano. Segundo fonte do Ministério das finanças, citada pela agência Lusa, a ideia, que estará no Documento de Estratégia Orçamental (DEO) que será discutido segunda-feira num Conselho de Ministros Extraordinário, passa por fazer depender o valor das pensões da evolução da economia e da demografia.

Trata-se de uma medida que deve avançar no próximo ano, já que a reforma global dos sistemas de pensões que está a ser estudada por um grupo de trabalho só deve entrar em vigor depois de 2015, ou seja, com o próximo Governo.

Quer isto dizer que o valor das pensões mudará anualmente, pelo que em anos em que haja crescimento económico e redução do desemprego esse valor até poderá aumentar.