Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

“A profissão de perito avaliador está sujeita a elevada pressão”

Razvan Chisu/Unsplash
Razvan Chisu/Unsplash
Autor: Redação

O valor da avaliação bancária de casas está em máximos históricos, uma tendência que acompanha o aumento do preço das casas, que em Lisboa chega a ser superior ao atribuído pelos peritos avaliadores. Em entrevista ao idealista/news, Paulo Barros Trindade, presidente da Associação Profissional das Sociedades de Avaliação (ASAVAL), fala sobre as dificuldades inerentes à profissão e deixa um alerta: “A profissão de perito avaliador está sujeita a elevada pressão”. 

Qual a importância dos peritos avaliadores de imóveis no panorama atual do setor imobiliário?

Os peritos avaliadores são uma classe profissional fundamental, neste panorama atual ou em qualquer outro, uma vez que são estes peritos quem determina o valor dos imóveis para qualquer efeito, seja para constituição de garantias hipotecárias em empréstimos bancários, seja para efeito fiscal, seja para expropriações, seja para apoiar um processo de venda de um imóvel ou para outros objetivos.

A avaliação do imóvel é o primeiro passo a dar aquando de um pedido de crédito à habitação. Que exigências tem a profissão de perito avaliador?

No âmbito do crédito hipotecário a avaliação é um dos passos fundamentais para a atribuição do crédito, uma vez que o mesmo se baseia no valor de mercado atribuído ao imóvel e não no preço da transação. A profissão de perito avaliador está sujeita a elevada pressão, pelo facto dos timings para entrega dos relatórios de avaliação serem muito curtos.

Esta situação associada ao facto dos honorários terem tido forte redução durante o período da crise financeira, sem que os mesmos tenham sido posteriormente repostos pelo menos aos níveis anteriores à crise, determina que os peritos avaliadores desenvolvam a sua atividade sempre sobre intensa pressão, o que não é desejável para uma profissão com esta importância.

Os bancos voltaram a abrir a torneira do crédito à habitação. Isto significa que aumentou o fluxo de trabalho dos peritos avaliadores? 

Nas avaliações realizadas para o setor financeiro verificou-se nos últimos quatro anos um aumento do número de avaliações realizadas, associadas a uma maior expressão do crédito hipotecário.

Assim foi o último cogresso realizado pela ASAVAL / João Bizarro Fotografia via ASAVAL
Assim foi o último cogresso realizado pela ASAVAL / João Bizarro Fotografia via ASAVAL

Quantos peritos avaliadores de imóveis acreditados existem? São mais ou menos que há 10 anos?

Para avaliações do setor financeiro estão acreditados pouco mais de 1.500 peritos e sociedades de avaliação. Há 10 anos não existia acreditação de peritos avaliadores para o setor financeiro (apenas para os fundos imobiliários), pelo que é difícil fazer uma comparação rigorosa.

De qualquer forma estimamos que há 10 anos existiriam mais peritos, pois era considerada uma atividade complementar de outras atividades, sobretudo na área da engenharia e arquitetura. Atualmente a maioria dos peritos avaliadores dedica-se em exclusivo à profissão, atendendo aos maiores custos associados quer à regulação da atividade, quer às maiores necessidades de formação e qualificação.

"Os honorários pagos pelas avaliações para o setor financeiro melhoraram um pouco (...). No entanto, e de uma forma geral, mantém-se a necessidade de compatibilizar os honorários pagos pelas avaliações com as exigências da regulação e do próprio mercado."

No final do ano passado foi notícia o facto da atividade de avaliador imobiliário estar em crise, nomeadamente pela concorrência ser elevada e pelos honorários serem reduzidos. Este cenário mantém-se?

Os honorários pagos pelas avaliações para o setor financeiro melhoraram um pouco, em parte pelas iniciativas que fomos realizando de sensibilização a clientes e reguladores, com alguns bancos e sociedades gestoras de fundos a atualizarem as suas tabelas de honorários. No entanto, e de uma forma geral, mantém-se a necessidade de compatibilizar os honorários pagos pelas avaliações com as exigências da regulação e do próprio mercado.

Os custos associados à regulação da atividade e à formação e qualificação dos peritos constituem um investimento que tem de ser obrigatoriamente traduzido na compensação monetária pelos serviços especializados que desenvolvemos.

A avaliação de imóveis está em máximos históricos. Os imóveis subiram assim tanto de valor nos últimos anos?

O papel do perito avaliador é atribuir um valor de mercado a um imóvel, traduzindo a realidade do mercado onde esse imóvel se insere, pelo que a subida de valores de avaliação só acontece porque o mercado imobiliário também tem evoluído nesse sentido.

Há o risco de os peritos estarem a avaliar os imóveis “por cima”, ou seja, por valores superiores aos que valem na realidade, para que os bancos possam dar mais crédito à habitação?

Não. A atividade é regulada e os peritos avaliadores e as sociedades de avaliação com que operam estão cada vez mais a apostar na formação e na qualificação, pelo que a atividade da avaliação imobiliária é atualmente muito profissionalizada.

"A atividade da avaliação imobiliária é atualmente muito profissionalizada"

Os valores da avaliação bancária de imóveis vão continuar a subir, ou devem entretanto começar a estabilizar e/ou descer?

Os valores de avaliação vão seguir o mercado, que parece estar a estabilizar. Julgamos que esta tendência se irá manter por algum tempo. No entanto, não nos podemos esquecer que o mercado imobiliário funciona por ciclos, alternando fases de valorização com fases de desvalorização.