Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Avaliação bancária de casas sempre a subir: dispara para 1.170 euros por m2 em janeiro

Aumentou 1,2% face ao mês anterior, dezembro de 2020 (1.156 €/m2), e 6,1% face a janeiro de 2020 (1.103 €/m2).

Imagem de ClassicallyPrinted por Pixabay
Imagem de ClassicallyPrinted por Pixabay
Autor: Redação

A subida constante do valor mediano da avaliação bancária de casas para efeitos de concessão de crédito à habitação mantem-se em 2021, em plena pandemia da Covid-19. Em janeiro, o valor fixou-se em 1.170 euros por metro quadrado (€/m2), tendo aumentado 1,2% face a dezembro de 2020 (1.156 €/m2) e 6,1% face ao período homólogo (1.103 €/m2). Em causa estão 24.857 avaliações bancárias, mais 3,2% que no mesmo período do ano anterior, segundo dados divulgados pelo Instituto Nacional de Estatística (INE) esta terça-feira (2 de março de 2021).

De acordo com o Inquérito à Avaliação Bancária na Habitação, o maior aumento face ao mês anterior registou-se no Norte (0,9%), tendo a redução mais acentuada sido observada na Região Autónoma da Madeira (-1,3%). Em termos homólogos, ou seja, em comparação com janeiro de 2020, a maior subida do valor mediano das avaliações deu-se no Norte (5,7%). A única descida, por seu turno, ocorreu no Alentejo (-0,7%).

No caso dos apartamentos, o valor mediano de avaliação bancária foi 1.284 €/m2 em janeiro, mais que no mês anterior (1.266 €/m2) e no período homólogo (1.200 €/m2).

“O valor mais elevado foi observado na Área Metropolitana de Lisboa (1.533 €/m2) e o mais baixo no Alentejo (864 €/m2). O Norte apresentou o crescimento mais expressivo (8,2%), verificando-se a descida mais acentuada no Alentejo (-2,4%). Comparativamente com o mês anterior, o valor de avaliação subiu 1,4%, tendo a Área Metropolitana de Lisboa apresentado a maior subida (1,1%) e a Região Autónoma dos Açores a descida mais intensa (-2%)”, conclui o INE.

Relativamente às moradias, o valor mediano da avaliação bancária foi 968 €/m2 em janeiro de 2021, mais que em dezembro de 2020 (957 €/m2) e no período homólogo (923 €/m2).

Segundo o INE, “os valores mais elevados observaram-se na Área Metropolitana de Lisboa (1.552 €/m2) e no Algarve (1.550 €/m2), tendo o Alentejo registado o valor mais baixo (814 €/m2)”. “A Área Metropolitana de Lisboa apresentou o maior crescimento (8,6%), e o menor ocorreu no Alentejo (0,1%). Comparativamente com o mês anterior, o Centro apresentou o maior aumento (2,1%), tendo-se verificado a descida mais acentuada na Região Autónoma dos Açores (-1,9%)”, lê-se no documento.

O INE revela, ainda, que para o apuramento do valor mediano de avaliação bancária de janeiro de 2021 foram consideradas 24.857 avaliações – 15.805 de apartamentos e 9.052 de moradias –, mais 3,2% que no mesmo período do ano anterior. “Em comparação com o mês de dezembro de 2020 houve uma redução de 1.553 avaliações bancárias, o que corresponde a uma descida de 5,9%”, conclui o INE.