Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Empréstimos em moratória voltam a descer em maio e atingem 38,5 mil milhões

Montante de crédito à habitação em moratória desceu 0,2 mil milhões de euros em maio, fixando-se nos 13,2 mil milhões, diz o BdP.

Crédito à habitação em moratória
Photo by Toa Heftiba on Unsplash
Autor: Redação

O montante de créditos em moratórias (públicas e privadas) voltou a descer em maio de 2021, atingindo 38,5 mil milhões de euros, um valor que é inferior ao registado no final de abril em 1,2 mil milhões de euros. Este é o oitavo mês consecutivo em que se regista uma descida no valor de créditos em moratória.

Desta vez, “esta variação resulta do decréscimo tanto dos empréstimos concedidos a particulares como dos concedidos a sociedades não financeiras, que diminuíram 0,5 e 0,7 mil milhões de euros, respetivamente”, segundo explica o Banco de Portugal (BdP) em comunicado publicado no passado dia 30 de junho de 2021.

Créditos em moratória
Banco de Portugal
Nos empréstimos concedidos a particulares, destaca-se o montante de crédito à habitação em moratória que desceu 0,2 mil milhões de euros em maio face a abril de 2021, fixando-se nos 13,2 mil milhões. Note-se que este valor diz respeito na sua totalidade a moratórias públicas, com término previsto para dia 31 de dezembro de 2021, já que as privadas terminaram no passado dia 31 de março de 2021.

Ainda no universo dos créditos a particulares, o BdP destaca também “a redução, de 0,3 mil milhões de euros, dos empréstimos em moratória para outras finalidades (isto é, excluindo habitação)” que se fixou nos 1,5 mil milhões em maio de 2021. Estes são os chamados créditos ao consumo, que tanto estão abrangidos por moratórias públicas (1.4 milhões de euros) como privadas (0,2 mil milhões). Note-se que a moratória privada para este tipo de empréstimos terminou no passado dia 30 de junho de 2021.

Créditos em moratória
Banco de Portugal
O que a nota de informação estatística do BdP também diz é que o total de empréstimos em moratória concedidos a sociedades não financeiras teve um decréscimo em todos os setores de atividade.

“Nos setores mais vulneráveis, tais como definidos no Decreto-Lei n.º 22-C/2021, de 22 de março de 2021, existiam em maio 24,1 mil empresas abrangidas por moratórias. O montante de empréstimos com pagamento suspenso diminuiu 0,1 mil milhões de euros face a abril, para 8,5 mil milhões de euros”, refere ainda o documento.