Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Crédito habitação: procura aumenta no terceiro trimestre à boleia das taxas de juro

"Confiança dos consumidores e nível das taxas de juro contribuíram para o aumento da procura de crédito habitação", segundo o BdP.

Corrida ao crédito habitação está ao rubro
Foto de Kindel Media no Pexels
Autor: Redação

No terceiro trimestre de 2021, a procura de empréstimos por parte de particulares aumentou sobretudo no crédito habitação, revelou esta terça-feira (26 de outubro) o Banco de Portugal (BdP), no “Inquérito aos Bancos sobre o Mercado de Crédito”. O questionário em causa foi enviado aos bancos dia 20 de setembro e o envio das respostas ocorreu até dia 4 de outubro, sendo que a avaliação da oferta e da procura é relativa ao terceiro trimestre, em comparação com o trimestre anterior. 

Segundo o supervisor, “a confiança dos consumidores e o nível das taxas de juro contribuíram para o aumento da procura de crédito habitação”. 

Para o BdP não há dúvidas de que “o crédito habitação em Portugal e na área do euro tem registado um comportamento muito dinâmico nos últimos anos, tendo durante a atual crise pandémica abrandado apenas temporariamente nos períodos de maior confinamento”. 

Baseando-se nas respostas ao inquérito, que inclui informação sobre a evolução da procura de empréstimos à habitação e sobre o impacto de alguns fatores, como o nível das taxas de juro, a confiança dos consumidores e as perspetivas do mercado de habitação”, o regulador conclui o seguinte:

  • “Nos dois anos anteriores à crise pandémica, a procura de crédito habitação em Portugal aumentou sucessivamente com exceção do primeiro trimestre de 2019, em que se verificou uma ligeira redução, para a qual contribuiu a medida macroprudencial aplicada aos novos créditos habitação e ao consumo pelo Banco de Portugal;
  • O aumento da procura refletiu o nível baixo das taxas de juro, a confiança dos consumidores (principalmente até ao início de 2019) e em menor medida as perspetivas do mercado da habitação”.

No que diz respeito à Zona Euro, o BdP adianta que “a procura aumentou até ao primeiro trimestre de 2020”, sendo que “o nível das taxas de juro foi o fator que mais contribuiu para o aumento na procura de crédito”. 

O BdP conclui ainda, segundo se pode ler no documento, que “a procura de crédito para habitação reduziu-se fortemente no segundo trimestre de 2020, tanto em Portugal como na área do euro”. 

“A diminuição da confiança dos consumidores e, em menor grau, a deterioração das perspetivas do mercado imobiliário, resultantes da crise pandémica, foram os principais fatores que explicaram esta evolução. De acordo com o inquérito, a procura de crédito habitação, tanto em Portugal como na área do euro, retomou o crescimento nos trimestres seguintes. Este dinamismo é justificado pelo nível das taxas de juro, uma vez que a confiança dos consumidores só recuperou a partir do segundo trimestre de 2021”, conclui.