Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Merece a pena ter o dinheiro depositado no banco em Portugal, seja para particulares ou empresas?

Autor: Redação

As medidas de política monetária que o Banco Central Europeu (BCE) tem adotado para impulsionar a economia é "um pau de dois bicos". Se por um lado é positivo para quem pede crédito, é negativo para quem quer ter o dinheiro depositado nos bancos. Ao verem as margens afetadas, as instituições financeiras acabam por transferir essa “carga” para os clientes. E se isso para os particulares significa ganhar pouco ou nada com os depósitos, no caso das empresas até têm de pagar por depositarem dinheiro no banco - em vez do contrário.

A prática é transversal a diferentes países, embora seja mais intensa no Luxemburgo e Espanha, países onde estão a ser aplicadas as taxas de juro mais altas. Já a banca portuguesa é a 4ª da Europa que menos remunera particulares e uma das que mais cobra às empresas.

Segundo os dados mais recentes do BCE, o setor financeiro doméstico cobra em média 0,09% de juros às empresas, a segunda maior taxa em toda a UE. À cabeça deste ranking está o Luxemburgo, onde o pagamento médio é de 0,23%. Somente os bancos de outros quatro países europeus cobram às empresas pelos seus depósitos (Alemanha, Bélgica, Irlanda e Holanda) - na Áustria a remuneração é de 0,0%. Por outro lado, na Itália, Malta e Chipre, às empresas é cobrada uma média de mais de 0,6% de juros sobre os depósitos. A média da UE é de 0,04%.

As notícias para os clientes particulares também não as melhores. Embora o setor financeiro ainda não se tenha “atrevido” a cobrar aos pequenos aforradores pelos seus depósitos, a verdade é que as remunerações são testemunhas do que se está a passar em diferentes países. Especialmente na Irlanda e Espanha, onde os juros pagos pelos bancos são de 0,04% e 0,05%, respetivamente.

Em países como Bélgica, Portugal, Alemanha e Luxemburgo, a remuneração varia entre 0,12% e 0,18%, enquanto a média da comunidade é de cerca de 0,31%. Há três países onde os particulares podem conseguir mais de 1%: França, Holanda e Eslováquia.

Isto é o que a banca de cada país cobra e remunera, dependendo do tipo de cliente:

Países Juro aplicado a particulares  Juro aplicado a empresas 
Irlanda 0,04 -0,02
Espanha 0,05 -0,09
Bélgica 0,12 -0,06
Portugal 0,12 0,12
Alemanha 0,15 -0,08
Luxemburgo 0,18 -0,23
Lituânia 0,2 0,19
Eslovénia 0,21 0,03
Finlândia 0,23 0,18
Chipre 0,24 0,34
Áustria 0,26 0
Média europeia 0,31 0,04
Grécia 0,57 0,73
Malta 0,64 0,67
Letónia 0,75 0,14
Itália 0,77 0,64
Estónia 0,96 0,21
França 1,03 nd
Holanda 1,24 -0,01
Eslováquia 1,31 0,11