Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

André Jordan investe 100 milhões na construção de casas de luxo no Belas Clube de Campo

Vista panorâmica da townhouse modelo. / Grupo André Jordan
Vista panorâmica da townhouse modelo. / Grupo André Jordan

Vão nascer no complexo Belas Clube de Campo, no concelho de Sintra, onde moram atualmente 750 famílias e há cerca de 2.500 residentes, mais 366 casas. Em causa está o projeto Lisbon Green Valley, apresentado esta quarta-feira (dia 5) pelo Grupo André Jordan. A construção das primeiras 200 unidades custará 100 milhões de euros. Será ainda construída uma escola, uma unidade de saúde e um centro hípico.  

Queremos continuar a ser o melhor lugar para viver em Lisboa”, disse Gilberto Jordan, CEO do grupo André Jordan, durante a apresentação do projeto, enaltecendo o facto do Belas Clube de Campo se encontrar a apenas 15 minutos do centro da capital.

O projeto Lisbon Green Valley contempla a construção de apartamentos (T1, T2 e T3) e de moradias/townhouses (T3+1 e T4+1) – os preços começam nos 350.000 e 890.000 euros, respetivamente – e a venda de lotes, a partir de 315.000 euros, para a construção de moradias, onde os proprietários podem desenvolver os seus próprios projetos. De referir que já arrancou a construção das primeiras 14 townhouses e de um lote de 19 apartamentos. 

Maquete de um lote de apartamentos. / Grupo André Jordan
Maquete de um lote de apartamentos. / Grupo André Jordan

Para enriquecer a oferta dada aos moradores e para conseguir “fidelizá-los” será construída ainda uma escola – a Escola João de Deus (do berçário ao 6º ano de escolaridade), que deverá abrir portas em setembro de 2019 –, uma unidade de saúde e um centro hípico.   

“Começa agora a fase de venda e de comercialização. [Estamos a] pôr no mercado um produto inovador e diferente, num lugar bonito para se viver”, referiu Gilberto Jordan à margem do evento, salientando que estima “ter as casas todas construídas dentro de quatro, cinco anos”. “Até lá espero já ter vendido todas”, acrescentou.

Portugueses e estrangeiros na mira

O CEO do Grupo André Jordan, que é filho do próprio André Jordan, para muitos considerado o pai do turismo português, afirma que este é um produto também para portugueses, apesar de estarem em causa imóveis do segmento alto. De referir, inclusive, que atualmente os portugueses representam cerca de 90% da ocupação do Belas Clube de Campo.

“Temos um nível de preços que é perfeitamente compatível com uma família que tem acumulado algum capital e que tem alguma capacidade de investimento. Achamos que é acessível. Aliás, temos verificado que é acessível”, afirmou, frisando que se trata também de um produto direcionado para estrangeiros. “Há dois três anos éramos 10 nacionalidades, hoje somos 26”.

Certo é que apesar de ser dada prioridade ao mercado nacional, a crescente procura internacional fez com que o Grupo André Jordan tenha em curso uma estratégia de promoção do empreendimento a nível internacional. A mesma arrancou no Brasil, no Rio de Janeiro e em São Paulo, e será alargada aos mercados do Reino Unido, França, Escandinávia, Turquia e Oriente. 

O Grupo André Jordan

André Jordan é para muitos o pai do turismo português. Nasceu na Polónia, em 1933, e cresceu no Brasil, tendo vindo para Portugal em 1971. Entre os projetos desenvolvidos pelo Grupo André Jordan em Portugal merecem destaque o Belas Clube de Campo (que agora entra em nova fase de expansão) e dois empreendimentos no Algarve entretanto vendidos pelo grupo a investidores internacionais: a Quinta do Lago e Vilamoura XXI.