Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

As melhores cidades europeias para investir em 2020 - há uma portuguesa na lista

O Porto destrona Lisboa no ranking da revista norte-americana Forbes das zonas com potencial de crescimento e lucro no imobiliário.

Photo by Aperture Vintage on Unsplash
Photo by Aperture Vintage on Unsplash
Autor: Redação

Com o Brexit como pano de fundo - e um acordo, arrastado no tempo, que será menos favorável à Grã-Bretanha do que o inicialmente anunciado e com impactos esperados na economia europeia - tem vindo a agudizar-se a pressão para a compra de casas, gerando oportunidades de negócio no mercado imobiliário em vários pontos do Velho Continente. Aconteceu em 2019 e vai repetir-se, acentuando-se, em 2020. E o radar dos investidores internacionais volta a passar por Portugal este ano. 

O cenário é traçado pela Forbes, num artigo sobre "As melhores cidades europeias para investir em 2020". Para elaborar o ranking em que consta o Porto (Lisboa fazia parte da lista de 2019), a revista norte-americana especializada em economia e finanças contou com a ajuda do LeadingRE, um consórcio global de 565 corretoras de imóveis em 70 países, para descobrir quais as cidades que estão a dar sinais de crescimento imobiliário, mas ainda sem ter ultrapassado o limite para que se consiga lucro.

Nápoles, Itália

Sempre um destino popular para os turistas, a cidade italiana teve um aumento de 15% nas vendas de imóveis no ano passado. A uma hora de distância de Roma (de comboio), localizada na costa do Mediterrâneo e com um clima quente, e tendo as ilhas Capri e Ischia nas proximidades, tornou-se um local popular para se viver.

O aumento da procura representa uma espécie de inversão de fortunas para a cidade histórica de Nápoles, que muitas vezes é negligenciada por suas contrapartes do norte”, disse à Forbes Chris Dietz, vice-presidente executivo de operações globais da LeadingRE. "Os preços comparativamente baixos refletem a demanda historicamente moderada aqui".

Megève, France

Além de ter sido palco de uma etapa do Tour de France há alguns anos, Megève viu um afluxo de interesse de vários países europeus atraídos em grande parte pela identidade da sua estação de esqui como parte da cordilheira do Mont Blanc. Por exemplo, de acordo com o agente local Antonin Allard, citado pela revista norte-americana, os compradores da Grã-Bretanha aumentaram de 5% para 15% nos últimos doze meses e os da Suíça representam 25% das vendas, contra 20% em 2018.

Székesfehérvár, Hungria

Não nos deixemos levar pelo nome difícil de soletrar. Este mercado secundário registou aumento de 17% nas vendas de residências face a 2018, em grande parte graças a uma grande atualização da ligação ferroviária entre Budapeste e Székesfehérvár. É na rota entre dois pontos de lazer populares: o Lago Balaton e o Lago Velence, o último dos quais é conhecido por suas praias.

"A prosperidade económica e o forte crescimento imobiliário do país tornam-na uma opção atraente para quem quer investir, e estamos a ver um interesse crescente de toda a Europa pelas ações atraentes de Székesfehérvár", disse Dietz. "Os investidores também da vizinha Turquia são atraídos pelos 2.000 anos de história e cultura, bem como pelos preços favoráveis ​​em comparação com outros centros costeiros europeus mais conhecidos".

Batumi, Georgia

Esta cidade portuária é a terceira maior cidade da Geórgia e abriga o popular Resort do Mar Negro. No momento, não há restrições de altura em novos prédios, de modo que os promotores e compradores estão a maximizar a oportunidade.

Estima-se que 22.752 casas (incluindo residências unifamiliares e condomínios) foram construídas entre 2018 e 2019 como resposta ao aumento da procura. "Com muitas terras disponíveis em Batumi e poucas restrições ao desenvolvimento, novos projetos estão a surgir na cidade para atender ao aumento da procura", disse Dietz.

Porto, Portugal

A lista do ano passado teve Lisboa como bom lugar para investir numa segunda casa, mas o crescimento foi tão significativo em 2019 que é difícil encontrar bons negócios em casas, de acordo com a Forbes.

O próximo melhor lugar para se olhar em Portugal é o Porto, onde os preços das casas ainda são 30% inferiores aos de Lisboa, apesar de um aumento de 15% nas vendas fechadas, segundo Rita Ribeiro, do INS Portugal. A procura aumentou tanto por causa das casas relativamente mais caras em Lisboa e devido às mudanças no arrendamento. Portugal é também um dos lugares com preços mais baixos para obter um Golden Visa para a cidadania da UE. Ribeiro estima que as vendas de imóveis para estrangeiros cresceram nos últimos três anos, de um em cada dez compradores para um em cada três.

Roterdão, Holanda

Depois de Amsterdão, esta é a maior cidade da Holanda. Localizada no rio Maas, que atravessa vários países europeus, Roterdão é o lar do maior porto da Europa e às vezes chamado de "Manhattan nas Maas". Para quem procura um lugar mais urbano para investir, Roterdão ainda é um bom lugar para procurar (também fez a lista do ano passado). Como diz Erik Noordam, da VOC International, "está se tornando rapidamente um refúgio para compradores que sentem que Amsterdão se tornou muito cara".