Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Avignon Capital e York Capital pagam 22 milhões ao Santander por edifício em Lisboa

O prédio, localizado no número 4 da Avenida Miguel Bombarda, vai ser alvo de uma remodelação profunda, a partir de março.

Santander Totta
Santander Totta
Autor: Redação

O imobiliário em Portugal continua a aguçar o apetite dos investidores estrangeiros. Na reta final de 2019 foi fechada mais uma operação no segmento de escritórios que agora foi comunicada ao mercado: a britânica Avignon Capital e a norte-americana York Capital Management juntaram-se para comprar um edifício ao Santander Totta, em Lisboa. E pagaram 22,3 milhões de euros pelo imóvel, que a partir de março de 2020 vai ser alvo de uma remodelação profunda.

O prédio, localizado no número 4 da Avenida Miguel Bombarda e que acolhida serviços do banco liderado por Pedro Castro de Almeida, soma uma área de 7.240 metros quadrados (m2) de escritórios e está dividido por nove andares acima do solo e cinco andares subterrâneos, referentes ao parque de estacionamento. As obras de reabilitação anunciadas passam pela modernização do edifício e pela implementação de um terraço para uso comum, com o objetivo de aumentar o potencial de geração de valor.

"Portugal é um mercado que estávamos a acompanhar há algum tempo e esta aquisição proporciona uma boa oportunidade de valor acrescentado tratando-se de um edifício de escritórios no centro de Lisboa e com um substancial potencial de valorização", diz Bianca Tristão, responsável de investimentos da Avignon Capital, citada em comunicado.

A responsável do fundo britânico acrescenta que “o mercado de escritórios de Lisboa está a beneficiar da forte procura dos ocupantes, impulsionada pelo crescente apelo da cidade a empresas internacionais, que procuram beneficiar de níveis competitivos de arrendamento em relação a outras cidades europeias importantes e ainda têm acesso a uma força de trabalho qualificada e a um mercado único europeu”.

A Avignon Capital tem o foco orientado, em particular, apontado para ativos localizados nas principais cidades europeias, estando esta aquisição em linha com a estratégia da empresa. “Utilizaremos a nossa experiência em gestão de ativos para (…) reposicionar o imóvel e criar um espaço de trabalho moderno altamente desejável“, indica ainda Bianca Tristão.