Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Vistos gold a perder força: investimento cai 47% num ano

Foram concedidos 81 vistos gold em janeiro de 2019, dos quais 75 mediante a compra de bens imóveis.

Autor: Redação

O investimento captado por via de Autorizações de Residência para Atividades de Investimento (ARI), como são conhecidos os vistos gold, caiu 47% num ano, tendo passado de 85,6 milhões de euros em janeiro de 2019 para 45,4 milhões de euros no primeiro mês deste ano. Em termos mensais, ou seja, face a dezembro de 2019, o investimento subiu 3%.

Em causa estão dados do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF). Segundo a Lusa, que se apoia nos mesmos, foram concedidos 81 “vistos dourados” em janeiro, dos quais 75 mediante a compra de bens imóveis (39.359.484,66 euros): 60 mediante o critério de compra de bens imóveis de valor igual ou superior a 500.000 e 15 através da compra de imóveis tendo em vista a reabilitação urbana.

Relativamente ao requisito de transferência de capitais, foram concedidos seis“vistos gold em janeiro, no montante de 6.054.471,61 euros.

Mais de 5.000 milhões captados desde outubro de 2012

No total, em mais de sete anos – o programa entrou em vigor em outubro de 2012 –, o investimento total captado na sequência da atribuição de vistos gold ultrapassou a fasquia dos 5.000 milhões de euros, ao atingir 5.037.667.787,26 euros.

Foram atribuídos durante esse período 8.288 ARI, sendo que a grande maioria (90%) do investimento captado corresponde à atribuição de vistos gold mediante a compra de bens imóveis, um investimento de 4.548.830.307,73 euros. Foram concedidos nesse âmbito 7.810 “vistos dourados”, dos quais 7.332 (investimento de 4.376.712.896,40 euros) mediante o requisito de compra de imóveis de valor igual ou superior a meio milhão de euros.

No que respeita ao critério de compra de imóveis para reabilitação urbana, foram concedidos 478 vistos, que representam um investimento de 172.117.411,33 euros.

Já o critério de transferência de capitais totalizou 461 vistos, num investimento total de 488.837.479,53 euros, enquanto o critério de criação de, pelo menos, 10 postos de trabalho, foi responsável pela atribuição de 17 vistos.

Chineses os mais “visados”

Os cidadãos chineses lideram o ranking de quem mais investe em Portugal na sequência da atribuição de vistos gold, com 4.484 vistos concedidos. Seguem-se pessoas oriundas de Brasil (868), Turquia (385), África do Sul (323) e Rússia (307).

De referir ainda que desde o início do programa foram atribuídas 14.154 autorizações de residência a familiares reagrupados.