Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

CML negoceia concessão da antiga Manutenção Militar para dar (ainda) mais vida ao Beato

Fernando Medina, presidente da CML, durante a apresentação do projeto Browers Beato / Facebook de Fernado Medina
Fernando Medina, presidente da CML, durante a apresentação do projeto Browers Beato / Facebook de Fernado Medina

A zona do Beato e de Marvila, na região oriental de Lisboa, está a “renascer das cinzas”. O Hub Criativo do Beato (HCB), um projeto que está a ganhar vida nas antigas instalações da ala sul da Manutenção Militar – são cerca de 20 edifícios distribuídos por 35.000 metros quadrados (m2) –, pode crescer em tamanho, e muito. Em causa está a dinamização e reabilitação da ala norte, que tem nada mais nada menos que outros 100.000 m2. 

A autarquia está “a dialogar com o Exército e com o Tesouro” a possibilidade de ficar com a concessão da ala norte da antiga Manutenção Militar, segundo Fernando Medina, presidente da Câmara Municipal de Lisboa (CML). No total, estará disponível uma área de 135.000 m2 que promete atrair muitas empresas e jovens empreendedores para uma nova zona de tendência da capital.

O objetivo é “usufruir desse espaço para desenvolvimento municipal e prolongar este projeto [o HCB] para norte até à linha férrea”, disse Medina após a apresentação da microcervejeira Browers Beato. O autarca adiantou que a CML acredita que o processo – as negociações de concessão – pode ficar concluído ainda este ano, o que permitiria “fazer o desenvolvimento do ‘masterplan’ entre 2018 e 2019”.

Um teatro que pode ser renovado

“Vamos procurar que na ala norte haja novas valências, novos espaços, novas ofertas, que complementem o que aqui temos nesta zona da manutenção militar”, afirmou o presidente da CML, frisando que o que vai nascer na ala norte não será uma réplica do HCB, mas algo complementar.

“Por exemplo, na ala norte existe um teatro com capacidade para cerca de 800 pessoas que pode e deve ser renovado e ser colocado ao serviço da cidade, existe uma creche, que pode ser ampliada e alargada a outras valências de serviço de apoio à família, e existe uma quinta, que pode ser usada como espaço verde e de usufruição”, contou.

Fernando Medina aproveitou a ocasião para confirmar que a Daimler (Mercedes) vai abrir no HCB um centro de inovações. A marca alemã terá a companhia do projeto – também germânico – Factory, que deverá ocupar uma área de 11.000 m2. Tudo isto nas antigas instalações da ala sul da Manutenção Militar. 

O responsável adiantou que “há negociações a decorrer” para os espaços livres do HCB e disse esperar ver todo o espaço a funcionar a um ritmo muito acelerado a partir de 2019: “Em 2020 já estaremos a tratar dos finalmentes do desenvolvimento das últimas unidades deste espaço, na ala sul”.