Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Custos da construção em alta: fazer habitação acessível é quase “impossível”

Construir casas a preços acessíveis já é hoje muito limitado pelo orçamento.

construção de casas acessíveis em risco
Photo by Ivan Henao on Unsplash
Autor: Redação

Os preços dos materiais de construção não param de aumentar. E o cenário mais provável é que o valor final da habitação passe a refletir esta subida. Mas enquanto nas casas de luxo este valor é facilmente absorvido, na habitação acessível o mesmo não acontece.

No setor da construção está instalada a “tempestade perfeita”. Há falta de mão de obra, escassez de materiais (como a madeira) e o aumento em flecha dos preços de materiais como aço, alumínio e do cobre. Os custos da produção e transporte destes materiais – como a energia e os combustíveis - também tendem a subir. E o que não falta são obras para terminar e construção nova para arrancar, como é o caso das 6.800 novas casas de habitação acessível previstas no Plano de Recuperação e Resiliência já aprovado em Bruxelas.

É principalmente no desenvolvimento destas casas que se instala o problema maior. Isto porque a construção de habitações acessíveis já é, por si só, muito limitada pelos custos de construção, pelos impostos, pela burocracia e falta de terrenos. “Se já era difícil, com este aumento de custos de materiais fazer hoje habitação acessível é uma equação praticamente impossível”, disse José Cardoso Botelho, diretor-geral da Vanguard Properties, ao jornal Expresso.

E até quando pode esta situação durar? Não se sabe ao certo quando haverá a regularização dos preços, sobretudo devido à incerteza gerada pela pandemia da Covid-19. As expetativas mais otimistas apontam para o final de 2021 ou no primeiro trimestre de 2022.