Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

BNP Paribas reafirma compromisso estratégico com Portugal com novas instalações em Matosinhos

Banco francês vai concentrar maioria das operações da zona Norte no edifício Urbo Business Center.

BNP Paribas
BNP Paribas
Autor: Elisabete Soares (colaborador do idealista news)

O banco francês BNP Paribas inaugurou esta quinta-feira (7 de novembro de 2019) as novas instalações no edifício Urbo Business Center, localizado na Senhora da Hora, em Matosinhos, onde vai concentrar a maioria das operações distribuídas pela região Norte, num total de 1.500 colaboradores. 

Na cerimónia de inauguração, Fabrice Segui, CEO do BNP Paribas Portugal, destacou que o investimento no Norte do país, é o “reafirmar de um compromisso” que o grupo “assumi há mais de três décadas” com o país.  Frisando, que Portugal “é uma localização estratégica para o grupo” que oferece “um leque de serviços financeiros individuais e corporativos abrangente”.  

Sobre o edifício Urbo Business Center - que representou um investimento total (incluindo terreno e construção) superior a 38 milhões de euros, assumidos pelo grupo bracarense DST -, Fabrice Segui destacou a “qualidade dos espaços inovadores que obedecem aos mais altos padrões de sustentabilidade”. 

Edifício dotado de sistema energético autónomo 

A inauguração do edifício acontece perto de 10 meses depois da assinatura de contrato de arrendamento (18 de janeiro de 2019), entre o grupo DST e o BNP Paribas, período em que se realizaram as  obras de adaptação dos escritórios do Urbo Business Center, num investimento de 12 milhões de euros, suportados pelo arrendatário. 

Ao idealista/news Armando Freitas, diretor responsável pelo desenvolvimento imobiliário do grupo, confirmou o investimento aplicado na operação de acabamentos e decoração dos espaços de escritórios – conhecida no mercado como ‘fit out’ – e que ficou a cargo da CARI, uma das empresas do grupo DST, que tinha sido também a responsável pela construção. 

De acordo com Armando Freitas, parte importante do investimento foi aplicado na criação de um sistema energético autónomo, que permite que estas instalações não estejam dependentes da rede elétrica pública. “Trabalhamos com muitos países, na Europa e no mundo, não podemos correr riscos”, diz. 

O responsável destaca ainda que o investimento feito nos acabamentos do edifício Urbo foi utilizado na adaptação dos espaços e nas divisórias, na instalação da rede de telecomunicações, e na criação de um conjunto de espaços comuns, caso das salas de reuniões, formação, cantinas e espaços de convívio. 

 O edifício Urbo apresenta uma área bruta locável disponível de cerca de 15.000 metros quadrados (m2), sendo que a DST celebrou com o BPN Paribas um contrato de arrendamento por um período de 10 anos, renovável por mais cinco anos.  

Edifício dispõem de 1.500 secretárias 

O edifício Urbo apresenta assim uma capacidade total de aproximadamente 1.500 postos de trabalho e vai acolher a maioria das empresas do BNP Paribas que já se encontram no Porto, dispersas por vários edifícios, como é o caso da Arval, do BNP Paribas Banking, dos departamentos de factoring e de leasing e da International Trade Partners. 

Ao idealista/news, Armando Freitas destacou que são “1.500 secretárias que permitem um rácio de mais 10% de utilizadores”, tendo em conta a rotatividade dos funcionários em termos de local de trabalho e de funções. 

Uma situação que pode permitir que “uma nova empresa que, inicialmente, não estava previsto instalar-se no edifício, possa vir a fazê-lo”.  Na opinião do responsável, a recetividade dos colaboradores ao novo edifício é a melhor. “As pessoas sentem-se em casa”, confidencia. 

O edifício Urbo conta ainda com uma loja com 1.000 m2, ao nível do rés do chão, que é ocupada pela Cetelem, entidade financeira de recuperação de créditos que pertence ao grupo BPN Paribas. 

Projeto de arquitetura premiado 

Projetado por Nuno Ferreira Capa, o edifício Urbo Business Center combina um design arrojado, com uma arquitetura vanguardista.  O edifício foi contemplado, neste último ano, com vários prémios de imobiliário nacionais, e no Architecture MasterPrize Awards, na categoria Architectural Design/Commercial Architecture, entregue, em meados de outubro, numa cerimónia no Guggenheim Museum, em Bilbau. 

“O Urbo Business Center apresenta um projeto que desenvolve uma solução arquitetónica que permite uma organização espacial flexível”, destaca Nuno Capa. 

Salienta ainda, o “programa construtivo, tanto ao nível dos elementos de estrutura e revestimento, como em termos de um conjunto de infraestruturas baseadas nas mais recentes e melhores diretrizes e práticas de sustentabilidade”. Frisando, que isto foi visível “não só durante as fases de projeto e construção, mas também em o que se refere à vida útil do edifício, reduzindo assim os custos de manutenção e conservação”.