Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Turismo residencial atrai compradores de 18 nacionalidades a Portugal

Wikimedia commons
Wikimedia commons
Autor: Redação

Entre o início de 2015 e o primeiro semestre de 2016, foram 18 as nacionalidades – entre cidadãos africanos, europeus, asiáticos e do Médio-Oriente - a comprar habitação turística no Algarve, no eixo Albufeira-Loulé, que é o principal mercado de turismo residencial em Portugal.

Em causa estão dados divulgados pela Confidencial Imobiliário (Ci), no âmbito da apresentação dos resultados preliminares do novo SIR-Turismo Residencial, um sistema estatístico que abrange a atividade de compra e venda de imóveis de turismo residencial e que é desenvolvido pela Ci em parceria com a Associação Portuguesa de Resorts (APR), com o apoio do Turismo de Portugal.

“Num setor com características únicas, por ser orientado para o uso turístico e vocacionado para a atração de investimento internacional, era determinante uma análise com estatísticas próprias e diversas das que apuramos para o mercado habitacional tradicional. É uma forma decisiva de promover a confiança dos investidores”, disse Ricardo Guimarães, diretor da Ci, em comunicado.

Os dados agora conhecidos permitem concluir que o eixo constituído pelos concelhos de Albufeira e Loulé é o mercado com maior concentração da oferta de turismo residencial (39%), além de ser o que tem a mais longa tradição neste segmento, incluindo em projetos integrados de resorts. Os cidadãos do Reino Unido, sobretudo ingleses e irlandeses, continuam a dominar este mercado, com 64% das aquisições a estrangeiros – o volume médio de investimento ronda os 1,78 milhões de euros por transação. Já o mercado chinês é o segundo mais ativo entre os estrangeiros, com 10% das vendas, mas o valor médio de investimento cai para 778,9 mil euros. “Os países do Norte da Europa merecem igualmente destaque – com especial relevo para a França –, com uma quota agregada de 13% nas vendas e um investimento médio de 1,40 milhões de euros”, refere a entidade.

No eixo Albufeira-Loulé, o valor médio de oferta das moradias de turismo residencial é o mais elevado entre as áreas analisadas: 4.870 euros por m2. Já os apartamentos apresentam preços médios de oferta nos 3.250 euros por m2.

No caso do Barlavento Algarvio e do Litoral Alentejano, que representam 25% e 18% do stock de unidades residenciais em oferta para uso turístico, respetivamente, os países do Norte da Europa são os mais ativos, com 60% das vendas no conjunto das duas regiões. Destacam-se neste caso os compradores franceses (23% do total).

“No Alentejo Litoral, os preços médios de oferta para as moradias de turismo residencial são de 2.480 euros por m2 e para os apartamentos de 3.780 euros por m2. No caso do Barlavento Algarvio, esses valores são de, respetivamente, 3.880 euros por m2 e 2.500 euros por m2”, lê-se no documento.

As duas restantes zonas analisadas são o Sotavento Algarvio, que abrange cerca de 8,2% do stock para turismo residencial em oferta, e a Grande Lisboa, que tem um peso de 14,2% entre a oferta analisada pelo SIR.