Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

IMOCIONATE iTEC: “Nunca se viu num espaço tanta inovação e serviços tecnológicos para a mediação”

IMOCIONATE iTEC
IMOCIONATE iTEC

O IMOCIONATE iTEC marca definitivamente a agenda do setor imobiliário. A edição de 2019, a terceira – realizou-se dia 26 de setembro de 2019 no Centro de Congressos do Estoril e teve o idealista como media partner – foi um sucesso, segundo a organização. Foram cerca de 600 os participantes naquele que é considerado o maior evento global do mercado imobiliário português.

Para Pedro Pereira, diretor de marketing da União de Créditos Imobiliários (UCI), patrocinador principal do evento, “nunca se falou e viu num só espaço tanta inovação e serviços tecnológicos para a mediação imobiliária em Portugal”.

“A evolução tecnológica é um dos motores da evolução da mediação imobiliária. Para um evento que tem como missão abordar o papel da tecnologia nesse futuro da profissão, foi gratificante poder contar na agenda do IMOCIONATE iTEC deste ano com a presença do acelerador tecnológico da NAR, o REACH. Com mais de seis anos de experiência, em que ajudou cerca de 50 empresas a desenvolverem os seus produtos e serviços junto dos mais de 1,3 milhões de membros da NAR, o REACH foi sem dúvida uma das grandes surpresas desta edição”, disse o responsável ao idealista/news.  

“Mais que explicar o programa e permitir a entrada de empresas de Portugal no mesmo, os participantes do IMOCIONATE iTEC puderam ver casos reais de empresas que beneficiaram do mentoring”, acrescentou.

“[Os participantes] perceberam que só investindo em si próprios podem construir o caminho de sucesso do seu futuro"
Pedro Pereira, diretor de marketing da UCI

Segundo Pedro Pereira, o evento reuniu num só dia “cerca de 600 participantes”, que “quiseram conhecer tendências, saber mais sobre talento, sustentabilidade, tecnologia, relação com o cliente, marca pessoal e mercado de luxo”. “Perceberam que só investindo em si próprios podem construir o caminho de sucesso do seu futuro”, concluiu.

O IMOCIONATE iTEC 2019 à lupa

A necessidade de haver um ajustamento no preço das casas aliada à aposta na construção marcaram o arranque do evento, com Luís Lima, presidente da Associação dos Profissionais e Empresas de Mediação Imobiliária de Portugal (APEMIP), a deixar uma mensagem nesse sentido. Mas falou-se de muito mais temas durante o evento, com a tecnologia, claro, a estar no centro das atenções. 

Em Portugal, a procura [de habitação] é muito elevada, mas falta-nos produto”, referiu o líder dos mediadores na sessão de abertura do certame, alertando para a importância das casas terem de ser vendidas a “preços mais baixos, mais justos”. “Desde 2017 que digo que é essencial apostar na construção nova”, frisou, salientando que esse é o caminho a seguir para permitir que os jovens e a classe média, que “são o grosso da procura”, possam ter acesso a uma habitação. 

Depois foi a vez de subir ao palco Cristina Amaro, autora e apresentadora do programa “Imagens de Marca”, da SIC Notícias, que se fez acompanhar de Maria Duarte Bello, coach especialista em Executive, Team e Life Coaching. Ambas falaram sobre a importância de construir uma marca que marca, nomeadamente no setor imobiliário. 

IMOCIONATE iTEC
IMOCIONATE iTEC

“Confiança”, no agente, e “paixão”, que faz a diferença, foram duas das palavras mais ouvidas durante a sessão. Deixamos algumas afirmações feitas por Maria Duarte Bello que importa recordar: “A criação de uma marca pessoal é um grande desafio”; “A melhor imagem é aquela que serve os nossos objetivos”; “Hoje em dia, as primeiras impressões que temos [de alguém ou de alguma empresa] são quase digitais”; “É fundamental ser um bom ouvinte [para criar uma relação de confiança com alguém]”. 

Seguiu-se a apresentação do Programa REACH: Acelerador de inovação no imobiliário, que chega agora à Europa através de Portugal. Dave Garland e Tyler Thompson contaram à audiência – e trouxeram também alguns convidados – que o Programa REACH já impulsionou o desenvolvimento de 48 empresas desde 2013. Falaram sobre as suas experiências, profissionais e pessoais, e lembraram que “ajudar os agentes do setor a fazer melhor o seu negócio” é o objetivo do maior acelerador mundial do setor imobiliário. 
Pelo meio, e com a tecnologia e inovação como pano de fundo, abordou-se a importância do data e do estudo e análise de dados e da edição de imagens, que podem ajudar, e muito, a comercializar mais rapidamente um imóvel.    

Um furacão chamado Crystal Washington

Um dos momentos altos do IMOCIONATE iTEC aconteceu quando a norte-americana Crystal Washington subiu ao palco para falar sobre a importância de (bem) usar a tecnologia e as redes sociais na mediação imobiliária. 

“Valor é a palavra chave”, disse a estratega tecnológica e futurista, aconselhando os profissionais do setor a não se acanharem na hora de se valorizarem. Como? Dizendo que são especialistas em determinado tipo de produto ou segmento, caso o sejam. 

Pelo meio referiu que “as relações [que se estabelecem com os potenciais compradores] são mais importantes que as transações” e que as “tecnologias não substituem o cara a cara”. “Mas lembram-nos que temos de estar conectados”, frisou, aproveitando para dar algumas dicas de como funcionar nas e com as redes sociais. 

Da parte da tarde, destaque para o testemunho entusiasta de Tiago Forjaz, Chief Dream Officer da Mightworld, que falou sobre a retenção de talentos numa empresa. De forma vibrante, preferiu dizer, no entanto, que iria falar de como entreter pessoas. E assim foi. 

Subiu depois ao palco António Alvarenga, autor do estudo "A casa e as tendências dos consumidores: Os impactos futuros na mediação imobiliária" e CEO da ALVA Research & Consulting. Uma investigação que traça um panorama atual da habitação e que procura perceber como estará o mercado residencial dentro de 11 anos, ou seja, em 2030.

Truques para vingar no segmento de luxo

A cativante participação de Marco Rufo, presidente da Beverly Hills/Greater Los Angeles Association of Realtors, terá seguramente deixado muitos dos presentes na plateia de boca aberta. Este norte-americano de origem italiana vive há muitos anos nos EUA e tem uma experiência de vida no mínimo interessante: começou do “nada”, foi motorista privado, andou a trabalhar porta a porta no setor e tornou-se um agente de sucesso no segmento de luxo. 

Evoluiu, segundo disse, com muito trabalho e alguma sorte e conhecendo as pessoas certas, apresentando-se como um exemplo de persisitência e motivação. Só em agosto deste ano vendeu 18 propriedades que custaram, no total, mais de 78 milhões de dólares (71,2 milhões de euros). E foi responsável, por exemplo, pela transação da mansão do basquetebolista LeBron James. 

Falou ainda sobre a importância de criar uma boa rede de contactos e deu o exemplo da casa de LeBron James – o agente do atleta contactou-o depois de alguém o ter recomendado na escola que os filhos frequentam.

IMOCIONATE iTEC
IMOCIONATE iTEC

Co-living, um assunto do futuro e do… presente

Antes da última sessão geral do dia, na qual a piloto todo-o-terreno Elisabete Jacinto partilhou alguns dos desafios inerentes à sua profissão – um testemunho de superação e motivacional –, houve lugar à realização de uma mesa redonda com o tema “As mediadoras imobiliárias no futuro”. Hugo Santos Ferreira, vice-presidente da Associação Portuguesa de Promotores e Investidores Imobiliários (APPII) e Fernando Garcia Erviti, diretor da CRS Internacional, juntaram-se a Crystal Washington e António Alvarenga numa interessante troca de ideias. 

Entre os temas abordados destaque para a importância da chegada a Portugal das proptechs, com Hugo Santos Ferreira a considerar que o setor da mediação imobiliária “precisa de novas ideias”, estando aberto para as receber. “O setor está olhar para os novos conceitos de espaço, co-living, co-housing, co-working, student-housing, etc. Isto hoje já é uma realidade, a grande maioria do investimento internacional que se prepara para entrar em Portugal é para investir nestas novas tendências, pelo que faz sentido também a mediação entrar neste jogo”, referiu.

Sobre a aposta no co-living, considerou que é uma realidade que nasce com dois fundamentais. “Um é a carência de oferta habitacional e outro a subida dos preços. Nós temos os dois para que o co-living nasça em Portugal”.  

Fernando Garcia Erviti referiu que “os agentes imobiliários do futuro estão aqui presentes [no Centro de Congressos do Estoril]”. “São este tipo de pessoas, que têm esta atitude aberta e de curiosidade”, explicou, frisando que “as tecnologias são úteis para ajudar a manter a relação com as pessoas”. “São ferramentas que vão mais longe que o cara a cara, que vão ajudar a fazer o mesmo de sempre, mas de forma mais eficaz, cómoda e eficiente”, concluiu.