Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Itália suspende pagamento dos empréstimos da casa para enfrentar surto de coronavírus

O Governo decretou a quarentena em todo o país para tentar travar a epidemia, sendo o segundo pior caso no mundo, depois da China.

Photo by @canmandawe on Unsplash
Photo by @canmandawe on Unsplash
Autor: Redação

Itália converteu-se no caso mais grave de epidemia do novo coronavírus fora da China. O governo decretou a quarenta em todo o país, numa tentativa de controlar o surto, e planeia suspender o pagamento de empréstimos de crédito à habitação e outros impostos em todo o território. Haverá ajudas para trabalhadores independentes, pequenas empresas e famílias, segundo o anúncio feito ela vice-ministra da Economia, Laura Castelli, em entrevista à Radio Anch’io.

A suspensão do pagamento das prestações de crédito da casa é uma das medidas incluídas no decreto-lei que o governo italiano quer aprovar no Parlamento, esta quarta-feira, 11 de março, numa tentativa de ajudar os cidadãos e aliviar a crise que paira sobre o país. O governo pediu a toda a população para ficar em casa, e está a antecipar os prejuízos económicos.

"Haverá uma importante componente fiscal, com a suspensão do pagamento de contribuições, retenções de impostos…", disse, acrescentando que "tudo será suspenso", incluindo "as hipotecas das pequenas empresas e famílias".

A Associação Bancária Italiana (ABI), adiantou também na segunda-feira que as instituições financeiras representativas de 90% do total de ativos bancários iriam oferecer moratórias de crédito a pequenas empresas e famílias que fossem afetadas pelas consequências económicas do coronavírus, segundo conta o El Confidencial.  

Outro pacote inclui medidas para as famílias, como a licença parental, dado o encerramento de escolas e creches em todo o país, e incluirá um “bónus, uma quantia fixa ou indemnização”. A suspensão do pagamento de impostos, outros créditos e até faturas também está em cima da mesa. 

Governo vai investir até 25.000 milhões no combate ao surto

Do Conselho de Ministros italiano, realizado esta quarta-feira, 11 de março, saiu a decisão de investir até 25.000 milhões de euros para combater o coronavírus. A primeira parte vai ser utilizada num pacote de medidas no valor de 12.000 milhões, a ser aprovado esta sexta-feira, 13 de março, que incluirá a suspensão do pagamento de hipotecas até 30 mil euros, durante um período de até 18 meses.

Ao que tudo indica, as pessoas que ficarem sem trabalho por pelo menos um mês ou tiverem uma redução significativa no horário de trabalho, durante pelo menos 30 dias, terão direito à suspensão.