Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Programa de Arrendamento Acessível: 160 contratos em 10 meses e... mais de 9.300 candidaturas

Na maioria dos contratos (43%) as rendas variam entre 300 e 500 euros e em 12% o valor é inferior a 300 euros.

Wokandapix en Pixabay
Wokandapix en Pixabay
Autor: Redação

O Programa de Arrendamento Acessível (PAA) recebeu, em quase dez meses - foi lançado em julho do ano passado -, quase dez mil candidaturas para cerca de 600 imóveis, sendo que foram celebrados 160 contratos de arrendamento, revelou o Ministério das Infraestruturas e da Habitação (MIH), adiantando que a maioria com rendas varia entre 300 e 500 euros.

“Nestes primeiros meses de PAA foram submetidas na plataforma 9.317 candidaturas e registados 591 alojamentos. Estão ativos 160 contratos ao abrigo do PAA, o que significa que 160 famílias já estão a beneficiar de arrendamento com renda abaixo do valor de mercado. Em média são inscritos 3,6 alojamentos por dia na Plataforma celebrados 1,2 contratos a cada 2 dias”, revela o Executvo, em comunicado.

De referir que a maioria dos contratos celebrados (43%) usufrui de um valor de renda entre os 300 e os 500 euros mensais enquanto 36% beneficia de uma renda entre os 500 e os 800 euros. Apenas em 12% dos contratos o valor da renda é inferior a 300 euros e 8% dos contratos têm rendas superiores a 800 euros.

Segundo o Executivo, a maioria dos 160 contratos celebrados, cerca de 76%, localiza-se na Área Metropolitana de Lisboa enquanto 10% são relativos a imóveis situados na Área Metropolitana do Porto. 

“Em janeiro ficaram disponíveis os primeiros seguros de renda do PAA, que reduzem os riscos de incerteza e oferecem maior segurança para senhorios e arrendatários. No mês seguinte, o MIH assinou com mais de uma dezena de plataformas e agentes de mediação imobiliária protocolos que visam facilitar a divulgação e pesquisa de alojamento acessível e a sensibilização dos agentes do sector para a adesão ao PAA”, lê-se no documento.

O MIH ressalva, nesse sentido, que foi precisamente em fevereiro de 2020 que houve maior adesão ao PAA, tendo sido registados 84 imóveis na plataforma para arrendar e celebrados 28 contratos.

“A crise económica provocada pela pandemia Covid-19, que se refletiu igualmente no setor imobiliário, teve igualmente impacto no PAA. Ainda assim, nos meses de março, abril e maio (até dia 21) registaram-se 115 novos registos de imóveis e foram celebrados 55 contratos ao abrigo do PAA”, conclui o MIH.