Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Comprar ou arrendar? Casas próprias mais caras 40% em Portugal desde 2007 - o dobro de na UE

Entre 2007 e o primeiro trimestre de 2020, o preço para arrendar casa em Portugal também disparou, na ordem dos 30%.

Eurostat
Eurostat
Autor: Redação

Comprar ou arrendar casa? Esta é uma pergunta que muitas pessoas colocam e que é de difícil resposta. Uma coisa é certa: nos últimos anos, entre 2007 e o primeiro trimestre de 2020 – já abrange o mês de março deste ano, marcado pelo início da pandemia de Covid-19 –, muita coisa mudou nos preços na União Europeia (UE), onde subiram 20,5% no mercado de compra e venda de casas e 20,8% no mercado de arrendamento. E em Portugal as subidas foram ainda mais altas neste período, analisado pelo Eurostat.

Eurostat
Eurostat

Segundo dados revelados esta quarta-feira (8 de julho de 2020) pelo Eurostat, entre 2007 e o primeiro trimestre de 2020, os preços das casas próprias aumentaram em 21 Estados-Membros da UE e diminuíram em seis, sendo que os maiores aumentos verificaram-se no Luxemburgo (91,4%), Áustria (91,3%) e Suécia (82,8%). De referir que Portugal surge na oitava posição do ranking, tendo registado um crescimento nos preços das casas à venda superior a 40%. 

Por outro lado, os países onde se verificaram as maiores descidas nos preços durante o período em causa são, por esta ordem, Grécia (-35,6%), Roménia (-23,6%) e Irlanda (-17,5%).

Relativamente ao mercado de arrendamento, os preços aumentaram em 26 Estados-Membros da UE e diminuíram apenas num, a Grécia (-17,5%). De acordo com o gabinete de estatísticas da UE, os maiores aumentos ocorreram na Lituânia (101,8%), República Checa (82,2%) e Hungria (75,1%), sendo que em Portugal a subida rondou os 30%.