Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Vais recorrer ao crédito? Atenção, porque quando a esmola é grande o pobre desconfia...

Gtres
Gtres
Autor: Redação

Artigo escrito por joao.raposo@reorganiza.pt, partner da Reorganiza, para o idealista/news, no âmbito da rubrica “Trocado por Miúdos”.

Quando a esmola é grande o pobre desconfia… ou pelo menos devia! Esta é uma sabedoria popular muitas vezes esquecida em momentos cruciais. 

Podes considerar um abuso, mas a verdade é que o crédito vende-se com muita facilidade independentemente da formação base de quem o contrata. Infelizmente há muitas pessoas que acabam por recorrer ao crédito sem terem presente todas as condicionantes. Fazeres um crédito é comprar dinheiro e comprares dinheiro exige maiores conhecimentos do que comprar qualquer outro bem. Quando compras um pacote de leite sabes perfeitamente se estás a comprar caro ou barato. Percebes qual o Preço de Venda ao Público (PVP) e sabes como comparar com as outras marcas. O PVP do leite não tem letras miudinhas! Mas será que quando contrais um empréstimo sabes exatamente qual o preço desse ato de compra de dinheiro? Sabes como comparar com outros empréstimos

Deixamos aqui algumas dicas importantes:

1 - O preço do dinheiro é a taxa de juro
Não vale a pena complicar muito para definir o que é uma taxa de juro. A taxa de juro é o PVP. do dinheiro. E quanto maior é a taxa de juro mais caro é o empréstimo. Cada prestação que pagas está desdobrada em: diminuição ao capital inicial e pagamento de juro. Ora, se o juro é elevado, em cada prestação que pagas estás a diminuir pouco do capital em dívida e assim fica mais caro a compra daquela quantia de dinheiro.

2 - Comparar o que é comparável
Os bancos apresentam a taxa de juro como TAN ou como TAEG. O que difere uma da outra é que na TAEG estão incluídas as despesas e comissões próprias do próprio crédito. O importante aqui é que compares a TAEG com a TAEG (própria dos créditos ao consumo) de outro banco, ou a TAN com a TAN de outro banco. Caso contrário estarias a comparar realidades que não são idênticas.

3 - Obrigatoriedade de contratar novos produtos
Mesmo que encontres um crédito com uma taxa de juro mais baixa não deves ficar descansado que estás a fazer o melhor negócio possível. Muitas vezes os bancos estão dispostos a emprestar dinheiro com taxas mais baixas mediante a contratação de outros produtos bancários. Pode ser que seja vantajoso, mas também pode acontecer que estejas a subscrever produtos que não sejam realmente necessários e que acabam por aumentar os teus encargos fixos mensais, como por exemplo a contratação de determinados seguros.

4 - Condições de amortização antecipada
Quando fazes um empréstimo é porque estás a antecipar algo que precisas hoje e que não queres, ou não podes, esperar por anos de poupança para comprar a pronto. Mas logicamente que quanto mais cedo conseguires ficar liberto desta responsabilidade melhor para ti. Lembra-te que cada prestação que pagas estás sempre a pagar o juro associado ao empréstimo. Tendo como objetivo terminar de pagar o empréstimo o mais cedo possível é importante que tenhas consciente desde o início qual o custo associado à amortização antecipada, pois esse pode ser um impedimento a liquidares o empréstimo.

Resumindo, sempre que encontrares muitas facilidades na obtenção de crédito desconfia. Pois se é assim tão fácil é porque o custo será mais elevado. Os bancos são um negócio como todos os outros: tudo farão para ter os maiores ganhos possíveis com os seus clientes.