Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Euribor

Últimas notícias sobre "Euribor" publicadas em idealista.pt/news

Taxas de juro negativas nos empréstimos da casa até 2030 - por causa da Covid-19

As taxas Euribor – as mais usadas em Portugal para efeitos de concessão de crédito à habitação – continuam em queda e em terreno negativo, um cenário que se deverá prolongar por mais alguns anos, até 2030, devido à crise pandémica da Covid-19. Esta é, pelo menos, a previsão de alguns dos intervenientes do setor financeiro. E é uma boa notícia para quem pediu dinheiro emprestado ao banco para comprar casa, já que a prestação continará a baixar – ou pelo menos não tenderá a aumentar.

Notícia sobre:

Contratos de crédito à habitação voltam a fixar taxas abaixo de 1%

As taxas de juro implícitas nos créditos à habitação regressaram, em setembro, a valores por debaixo de 1%, tanto nos novos contratos, como no conjunto dos empréstimos existentes. Os juro implícitos nos financiamentos realizados nos últimos três meses para a compra de casa caiu para 0,996%, face aos 1,003% fixados em agosto. Já no conjunto dos contratos foi de 0,966% em setembro, 0,1 pontos base abaixo dos 0,967% registados no mês anterior, tal como mostram os dados do Instituto Nacional de Estatística (INE), publicados esta terça-feira, dia 20 de outubro de 2020.

Notícia sobre:

Bancos devolvem milhões às famílias com crédito à habitação – e tudo por causa dos juros negativos

CGD, BPI e Novo Banco já devolveram cerca de 4,4 milhões de euros às famílias desde julho de 2018, ano em que entrou em vigor em Portugal uma lei que obriga a banca, perante taxas de juros negativas, a pagar esse diferencial negativo aos clientes dos contratos em que o cálculo resulte em juros abaixo de zero. BCP, Santander, Montepio e Crédito Agrícola não revelam os montantes devolvidos.

Notícia sobre:

Prestação da casa cai para o valor mais baixo de sempre - cortes atingem todos os prazos

Outubro traz boas notícias para todas as famílias portuguesas que pediram dinheiro emprestado ao banco para comprar casa. A prestação vai baixar para todos os contratos de crédito à habitação independentemente  do indexante associado, nomeadamente Euribor a 3, 6 ou 12 meses. Será, de resto, a mais baixa de sempre.

Notícia sobre:

Taxas Euribor continuarão em mínimos mas impacto económico é insuficiente, dizem os analistas

As taxas de juro Euribor – as mais usadas em Portugal para efeitos de concessão de crédito à habitação – devem continuar ancoradas em valores perto de 0% nos próximos anos, segundo analistas contactados pela Lusa, mas o impacto económico é insuficiente e permanece o temor de “japonização” da economia europeia.

Notícia sobre:

Pandemia mantém Euribor em mínimos e dispara poupanças das famílias com o crédito da casa

A crise pandémica está a ter um reverso positivo para as muitas famílias portuguesas que pediram dinheiro emprestado ao banco para comprar casa. Isto porque as taxas Euribor – as mais usadas em Portugal para efeitos de concessão de crédito à habitação – continuam em queda, tendo atingido na semana passada mínimos históricos. O resultado deste cenário é uma redução na prestação da casa, sendo que a poupança das famílias em Portugal com créditos à habitação chega aos 195,3 milhões de euros.

Notícia sobre:

Bancos voltam a dar mais empréstimos para a compra de casa

Os empréstimos para a compra de casa em Portugal estão a ganhar novo fôlego, apesar dos efeitos colaterais da pandemia da Covid-19. Segundo os dados mais recentes do Banco de Portugal (BdP), divulgados esta quarta-feira, 2 de setembro de 2020, em julho, a banca concedeu 931 milhões de euros de crédito à habitação, mais 98 milhões face a junho, mês em que a banca emprestou 833 milhões às famílias.  

Notícia sobre:

Taxas de juro negativas nos empréstimos da casa até 2026

Estas são boas notícias para quem pediu ou está a pensar pedir dinheiro emprestado ao banco para comprar casa. As taxas Euribor, principal indexante dos contratos à habitação em Portugal, mantêm-se em terreno negativo desde 2015, em resultado da política de estímulos do Banco Central Europeu (BCE) e, apesar dos sucessivos avanços e recuos no que toca às expectativas de mercado, este cenário deverá manter-se até 2026 - essa é, pelo menos, a previsão dos especialistas. 

Notícia sobre: