Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Investidos 570 milhões em imobiliário comercial no primeiro trimestre, mais 326% que em 2015

Autor: Redação

No primeiro trimestre de 2016, o investimento em imobiliário comercial em Portugal atingiu 570 milhões de euros, o que corresponde a um aumento de 326% face ao mesmo período do ano passado. Uma subida que se deve sobretudo ao interesse dos investidores estrangeiros.

Os números foram divulgados pela consultora imobiliária JLL no seu Market Pulse trimestral. Segundo o relatório, os investidores privados e os “familly offices” foram o tipo de comprador mais ativo, com 42% do volume investido. Seguem-se os fundos de investimento (38%) e as sociedades investidoras em património imobiliário (18%).

Segundo a JLL, os escritórios foram os ativos mais transacionados – 49% do volume investido –, impulsionados pela compra do Campus da Justiça por 268 milhões de euros e da Torre Galp por 43 milhões de euros, ambos adquiridos por investidores europeus.

O retalho foi o segundo tipo de imóveis com maior procura, concentrando 38% do capital investido. Neste segmento, destacam-se as operações de sale&leaseback de dois portefólios de hipermercados Sonae pelo valor agregado de 204 milhões de euros, ambos adquiridos por players internacionais.

Nos principais negócios do trimestre inclui-se ainda a venda do edifício Monumental, no Saldanha, que combina um centro comercial com escritórios, adquirido por 60 milhões de euros.

Para Pedro Lancastre, diretor geral da JLL, “a dinâmica do mercado deve manter-se até final do ano, com volumes de  investimento elevados”. No final de 2015 o investimento estrangeiro concentrava 84% do volume transacionado, um peso que aumentou agora de forma expressiva e que demonstra bem a consolidação de Portugal no panorama internacional. Os investidores oriundos dos EUA, Espanha, China e Brasil voltaram a estar bastante ativos, mas neste trimestre destacaríamos também os capitais franceses, que protagonizaram a maior operação do mercado”, adiantou o responsável em comunicado.